domingo, 14 de julho de 2013

Hacker de 19 anos revela como fraudou urnas eletrônicas e eleição



Reunião na SEAERJ. Imagem: PDT
No seminário "A urna eletrônica é confiável?", ocorrido na SEAERJ (Sociedade de Engenheiros e Arquitetos do Rio de Janeiro) em dezembro de 2012, um jovem hacker de 19 anos, identificado, por razões de segurança, apenas como Rangel, revelou como fraudou eleições no Rio de Janeiro.

Rangel mostrou como, através de acesso ilegal e privilegiado à intranet da Justiça Eleitoral no Rio de Janeiro - sob responsabilidade da empresa Oi - interceptou dados alimentadores do sistema de totalização e, após o retardo do envio desses dados ao destino, alterou resultados, beneficiando alguns candidatos em detrimento de outros. 


“A gente entra na rede da Justiça Eleitoral quando os resultados estão sendo transmitidos para a totalização e depois que 50% dos dados já foram transmitidos, atuamos. Modificamos resultados mesmo quando a totalização está prestes a ser fechada”, explicou Rangel em linhas gerais. As informações, conforme relatado, chegaram a "chocar" inclusive críticos e especialistas nas fragilidades do sistema.

O hacker declarou que não atuava sozinho, fazendo, portanto, parte de um grupo que utilizava de informações privilegiadas relativas ao sistema da Oi, alterando resultados antes que fossem registrados pelo TRE - Tribunal Regional Eleitoral. Rangel está vivendo sob proteção policial e já prestou depoimentos à Polícia Federal. 

Denunciou, inclusive, que o deputado Paulo de Melo (PMDB), então presidente da ALERJ - Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro - seria um dos beneficiados.

Para Fernando Peregrino, coordenador do seminário, a despeito de tantas denúncias, a polícia em geral não confere foco às mesmas pelo fato de que as urnas eletrônicas brasileiras representam o cerne da democracia no Brasil. 

No mesmo seminário, a Dra. Maria Aparecida Cortiz relatou dificuldades de fiscalização criadas pela própria Justiça Eleitoral, a qual atuaria inclusive no abafamento de escândalos de fraudes. Discorreu, entre outros, sobre casos de fraudes na Bahia, no Maranhão, em Londria (PR) e em Guadalupe (PI). O encontro será transformado em um livro e, também, dará origem a um documentário sobre o tema, além de novas reuniões.

Leia mais a respeito no artigo Urnas Eletrônicas: tema repleto de acusações, fraudes, ameaças e denúncias", clicando aqui.

Qual é a sua opinião a respeito do sistema eleitoral brasileiro?

Vídeos relacionados


Marcos Camponi
Folha Política

Com informações de PDT, Viomundo, Canalcontracorrupcao.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...