sábado, 24 de agosto de 2013

Professora universitária denuncia que manifestantes estão sendo sequestrados em suas casas e torturados



Professora Liana Cirne.
Imagem: Reprodução/Facebook
A professora universitária Liana Cirne Lins, atuante na Faculdade de Direito do Recife, denunciou em seu Facebook que membros dos grupos Black Bloc e Anonymous estão sendo sequestrados e conduzidos sem mandado de prisão.

Segundo a mesma, um dos manifestantes foi torturado e encontrado desacordado.

Leia abaixo:


"Recebi confirmação de que os sequestros são reais, que os membros do Black Bloc estão sendo sequestrados, conduzidos para viaturas do GATI, SEM MANDADO DE PRISÃO.

Os militantes do grupo estão acuados. Suas famílias estão em desespero.

Há dois militantes desaparecidos nesse momento.

Um do Anonymous e um do Block Bloc.

O primeiro sequestrado, do Black Bloc, foi encontrado desacordado e duramente torturado. Sua mãe testemunhou o momento do sequestro, em frente ao domicílio da vítima.

O facebook deles está inacessível, inviabilizando o pedido de socorro pelas redes sociais.

Peço a toda e qualquer pessoa que tem qualquer contato com o governo do estado, com a SDS que interceda para que cessem imediatamente essas ilegalidades e que especialmente os dois militantes sequestrados sejam DEVOLVIDOS IMEDIATAMENTE ÀS SUAS FAMÍLIAS.

Faço esse apelo em defesa do estado democrático de direito, valor maior do nosso país.
E faço esse apelo em nome das mães e dos pais desses jovens, que podem até ter quebrado uma ou duas bicicletas e a gente achar isso errado, mas atire a primeira pedra quem não teve um filho que causou problemas um dia, seja no colégio, com um professor ou com um colega, seja na rua ou mesmo em casa.
E ninguém nunca teve o filho sequestrado por isso.
Esses sequestros são políticos!
São a criminalização de uma ideologia!
Há outro filho provisoriamente sequestrado, ameaçado e aterrorizado. Um filho de todos nós. E esse filho é a democracia".

Imagem: Reprodução/Facebook
Após ser questionada quanto a denúncias, replicou: "A grande dificuldade é convencê-los a depor. Conversei com Alê (do Anonymous) até duas da madrugada. Expliquei que ele e sua família e amigos ficariam mais protegidos com a formalização da denúncia e a comunicação à mídia. Expliquei a importância dessa denúncia para o fortalecimento da democracia e para exigirmos que o diálogo do governo com a sociedade seja pautado pelas regras do estado democrático de direito. Falei da importância da denúncia para requerermos a presença de mecanismos internacionais de defesa dos direitos humanos. Ele ouviu tudo e vai decidir. A questão é que esses jovens - que estão na base da pirâmide social - têm uma enorme desconfiança de todas as instituições estatais e não conseguem confiar em nada nem ninguém. E como ele foi torturado e ameaçado, inclusive citando os nomes de seus parentes, eles estão apavorados, porque obviamente lhes foi dito para não denunciarem. E às vezes nossas boas intenções não são garantia bastante de que eles não sofrerão retaliações ainda maiores... Enfim, vamos aguardar sua decisão."

Uma das pessoas que teriam sido sequestradas no Recife, Vatsyani Ferrão, declarou ter realizado exame de corpo de delito e publicou imagens de sua face na rede social. Segundo ela, o ato partiu de dois policiais à paisana.

Imagem: Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook
Leia sobre o caso de Vatsyani clicando aqui.

Lígia Ferreira
Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...