quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Ministro diz não ter expectativa de vitória de Dilma no primeiro turno


Imagem: Elza Fiúza / Agência Brasil
O ministro da Secretaria-Geral da Presidência,Gilberto Carvalho, afirmou nesta sexta-feira (20) não ter expectativa de que a presidente Dilma Rousseff consiga se reeleger no primeiro turno da eleição do próximo ano.

As duas últimas pesquisas de intenção de voto para as eleições de 2014 apontam que a presidente venceria no primeiro turno, no cenário em que os adversários são Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Levantamento do Datafolha feito nos dias 28 e 29 de novembro mostrava Dilma com 47%, Aécio com 19% e Campos com 11%. Napesquisa do Ibope, feita entre 7 a 11 de novembro, Dilma aparecia com 43%, Aécio com 14% e Campos com 7%.

Um dos principais auxiliares de Dilma, Carvalho disse que eleição deve ser "dificílima". Segundo ele, não haverá "nada de salto alto".

"Eu não tenho expectativa, não. Eu acho que vai ser uma eleição muito dura, muito suada, com muito respeito aos nossos adversários", afirmou, ao ser questionado se acreditava na reeleição em primeiro turno.

O ministro disse também que, em 2014, a presidente Dilma Rousseff deve seguir viajando pelo país, entregando obras, mas que ainda não há “nenhum plano muito preciso” sobre como serão as viagens em período de campanha.

Carvalho ressaltou que o partido irá lutar pela reeleição porque acredita no projeto de governo. "Não é para a gente ficar aqui, eu mesmo não quero ficar aqui, 12 anos vai estar bom demais", disse. "Mas é para que esse projeto, que está mudando demais o país, possa continuar", disse.

Segundo o ministro, a militância do PT estará engajada na reeleição da presidente, a despeito dos boatos de que integrantes do partido não a reconheciam como petista.

“Não é verdade que o PT não considera a Dilma. O PT tem orgulho do governo da presidenta Dilma”, sustentou. 

Ele disse que é natural que militantes tenham críticas porque quando se está no governo nunca se cumpre “o seu ideal, sempre tem limitações”.

“Mas não tenha dúvida, o PT vai com tudo para essa campanha e eu sinto a nossa gente com orgulho do governo, com garra”.

O ministro se esquivou de falar sobre a reforma ministerial que a presidente Dilma Rousseff disse que anunciará entre a metade de janeiro e o carnaval. Mas afirmou que a tendência é que ele, Carvalho, permaneça.

"Eu não candidato a nada. Portanto, a tendência é continuar. Agora, posso ser candidato a ir para casa", brincou, dizendo que a presidente é quem decide.

Juliana Braga 
G1
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...