sexta-feira, 20 de junho de 2014

'Avesso à Copa', Gabriel, O Pensador critica gastos com o Mundial no Brasil


Imagem: André Camargos
Reflexivo, músico revelou que recusa diversos convites para campanhas publicitários para não ter sua imagem ligada "ao lado ruim da Copa"

Reconhecido por ser autor de muitas músicas com teor crítico, o carioca Gabriel, o Pensador foi um dos convidados do "Madruga SporTV" e revelou se manter "avesso à programação da Copa", inclusive se vendo obrigado a recusar diversos convites para campanhas publicitárias para não ser "cúmplice do lado ruim" da competição.

- Eu estava bem avesso à programação da Copa. Fui chamado para algumas coisas e não quis ir. Publicidade nem pensar, musiquinha de Copa. Porque eu estava com receio de me sentir cúmplice do lado ruim da Copa. Do absurdo que foi o gasto de dinheiro a mais do que precisava, a isenção de impostos que o governo deu - disse o músico.


Ao lado de Lucas Gutierrez, Aurora Bello e Flávio Canto, que já defendeu o Brasil em diversos eventos esportivos nos principais campeonatos de judô, Gabriel, O Pensador afirmou que ama esportes, mas que não consegue deixar de se indignar com os gastos públicos com a Copa do Mundo. 

- Eu amo esporte. A gente tem coisas boas para ver dentro dos eventos esportivos, mas eu estou me sentindo cada vez mais indignado ao ver como o Brasil tem recursos para colocar. A polícia, o exército, a marinha, os voluntários que se prontificam para ajudar a Copa a acontecer. Tudo funciona, apesar dos atrasos - que foram propositais para as obras ficarem mais caras - porque na hora da emergência aumentam o preço. Mas como que todo esse circo acontece e uma grávida não consegue parir no hospital? Um cara não consegue ser atendido como aconteceu essa semana, que não foi atentidido no Hospital do Coração? Como que a segurança não consegue proteger nem o rico nem o pobre, matam o inocente? - questiona o autor de "Até Quando?".

Por fim, Gabriel, O Pensador lembrou dos protestos que se intensificaram no Brasil desde junho de 2013 e afirmou se sentir representado por aqueles que foram e vão às ruas nas manifestações. Mesmo de fora, o músico, entretanto, desejou um bom Mundial a todos, mas que o espírito crítico se mantenha mesmo após o fim do torneio.

- Espero que a Copa possa divertir as pessoas, todos têm o direito de assistir aos jogos. Mas que a Copa sirva para nos deixar mais indignados. Como a gente tem um país rico, cheio de recursos e cada vez mais a gente estava aceitando absurdos. Falta de respeito, justiça, educação, saúde, emprego, tudo. Toda a galera que foi para a rua, enfrentando a polícia, a repressão absurda, tentando mudar o país acabou canalizando nessa energia anti-Copa. Para esses que foram contra a Copa e queriam que desse tudo errado e que queriam que a Copa não acontecesse, eu quero dizer que vocês me representam na indignação, na coragem, na vontade de mudar o país que é muito mais importante que a Copa e que qualquer título de qualquer esporte - falou Gabriel.

Veja também:

SporTV
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...