terça-feira, 12 de agosto de 2014

Preço da gasolina deve subir de 5,5% a 6% após eleições, diz fonte do governo


Imagem: Arquivo/ABr
BRASÍLIA — O governo federal deve elevar o preço da gasolina nas refinarias entre 5,5% e 6% neste ano após as eleições de outubro, afirmou à agência de notícias Reuters nesta segunda-feira uma fonte do governo próxima ao núcleo do Executivo. O cálculo do reajuste ainda é preliminar e servirá para dar algum alívio aos preços para a Petrobras, segundo a fonte.


A estatal vem trabalhando com preços defasados se comparados com o mercado internacional, o que causa prejuízos na sua área de abastecimento. A decisão pelo aumento agora leva em conta o arrefecimento que a inflação deve dar neste segundo semestre, a necessidade de fortalecer o caixa da companhia e a regra de elevação anual do preço dos combustíveis.

Na semana passada, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, já havia indicado que os preços da gasolina seriam elevados em 2014. A última vez que houve reajuste nos preços da gasolina foi em novembro do ano passado, quando a Petrobras anunciou aumento médio de 4% da gasolina e de 8% no diesel nas refinarias. Na época, especialistas calcularam que a alta da gasolina ao consumidor final seria de cerca de 3%.

Veja também:
Túnel do Tempo: Como eram os comerciais de TV antes do Plano Real; assista
Brasil pode sofrer novo 7X1 na economia, diz Financial Times
FMI reduz projeção de crescimento do Brasil em 2014 para uma das piores do mundo, contrariando discurso do governo brasileiro
Brasil terá 4º ano seguido de crescimento abaixo da América Latina, prevê Cepal 
Indústria no governo Dilma tem pior desempenho desde Collor; país sofre 'desindustrialização'

— O aumento (deste ano) vai dar um colchão à Petrobras que, na eventualidade de disparada do preço do barril lá fora, não precisará fazer movimentos bruscos de preços no mercado interno. Da mesma forma que não precisará lidar com distorções de preços caso haja movimento de baixa da cotação internacional — disse a fonte.

Em julho, o preço da gasolina vendida pela Petrobras no Brasil ficou 14%, em média, abaixo dos valores internacionais, segundo levantamento da GO Associados.

GOVERNO ‘JÁ SABE’ QUE NÃO CUMPRIRÁ SUPERÁVIT

A fonte, que falou sob condição de anonimato, também informou que o governo já sabe que não cumprirá a meta de superávit primário neste ano, de R$ 99 bilhões, equivalente a 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB), devido ao menor crescimento da arrecadação, abalada pela fraca atividade econômica.

Veja também:
Deutsche Bank, banco alemão, alerta investidores para ‘risco’ em reeleição de Dilma
PIB brasileiro pode crescer menos de 1% em 2014 se houver racionamento
Economista dinamarquês 'detona' Dilma e o Brasil: 'Campeão mundial em fracassos'
Após 20 anos, real perde poder de compra, e nota de R$ 100 vale só R$ 22,35
Copa do Mundo agrava profunda crise da indústria no Brasil
Expectativa para crescimento da economia em 2014 piora ainda mais
Jonathan Wheatley, do FT, humilha eleitores brasileiros: 'Mesmo com a economia caindo cada vez mais, estão felizes'
'Financial Times' destaca corrupção na Petrobras e critica apatia do brasileiro: 'Asfaltada pela corrupção'

— A revisão da meta está na pauta do governo. O governo já sabe que não vai atingir a meta de superávit (neste ano) — disse, acrescentando que a avaliação já leva em consideração as receitas extraordinárias com o refinanciamento de dívida tributária (Refis), de R$ 18 bilhões, e R$ 8 bilhões com o leilão de licenças 700 MHz para telefonia móvel celular de quarta geração. — O problema é o baixo crescimento da arrecadação e as desonerações elevadas — acrescentou.

Reuters via O Globo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...