sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Procurador alerta que Lei do Sigilo para acidentes aéreos, sancionada por Dilma, protege criminosos e é inconstitucional


Imagem: Marcelo Pereira/Terra
Rodrigo de Grandis, que investigou caso TAM, avalia que segredo só deve existir ‘em razão da eficiência da investigação’

O procurador da República Rodrigo de Grandis afirmou nesta quinta feira, 14, que é inconstitucional a Lei 12.970/14 , que dispõe sobre as investigações do Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Sipaer) e impõe sigilo sobre as informações das caixas pretas dos aviões. “É uma reserva de espaço investigatório à autoridade aeronáutica, inexplicável no sistema constitucional brasileiro”, adverte o procurador.


Rodrigo De Grandis investigou o maior desastre aéreo do País – 199 mortos na queda do avião TAM, na zona Sul da Capital, em junho de 2007. Para ele, o sigilo deve existir em razão da eficiência da investigação. A Lei 12.970/14 foi sancionada em maio.

Veja também:
Veja o vídeo que os filhos de Eduardo Campos fizeram para seu aniversário
"Não vamos desistir do Brasil", dizem representantes do PSB
Denise Abreu lembra morte de denunciante do mensalão e diz que queda de avião de Campos deve ser rigorosamente investigada
Veja as últimas palavras de Eduardo Campos sobre Dilma
Investigações devem responsabilizar piloto pelo acidente que matou Eduardo Campos

ESTADO: O sr. é a favor do sigilo?
PROCURADOR DA REPÚBLICA RODRIGO DE GRANDIS: Em regra, toda investigação deve ser sigilosa. Investigação sob holofotes não costuma ser eficiente. A Lei número 12.970/2014, todavia, estabelece um sigilo que compromete, porque extensível ao Ministério Público e à Polícia, a adequada investigação de um fato criminoso, como, por exemplo, os crimes de homicídio (doloso e culposo), lesões corporais (dolosas e culposas) e de atentado à segurança de transporte aéreo.

ESTADO: O sigilo dificulta ou facilita a investigação?
RODRIGO DE GRANDIS: Na forma estipulada pela Lei 12.970/2014 o sigilo dificulta a investigação de um ato criminoso relacionado a um acidente aéreo.

ESTADO: Qual a sua avaliação sobre a lei?
RODRIGO DE GRANDIS: A Lei número 12.970 é inconstitucional em diversos aspectos. O artigo 88-G, § 1º assegura uma precedência da investigação do Sipaer que não se justifica no sistema processual penal brasileiro. Ela é, portanto, neste caso, desproporcional. O mesmo sucede com a precedência prevista no artigo 88-I, § 1º. O que, porém, me parece mais grave é o disposto no artigo 88-I, § 2º. A fonte de informações de que trata o inciso III do caput e as análises e conclusões da investigação Sipaer não serão utilizadas para fins probatórios nos processos judiciais e procedimentos administrativos e somente serão fornecidas mediante requisição judicial, observado o artigo 88-K desta Lei.

ESTADO: O que o preocupa?
RODRIGO DE GRANDIS: Esse artigo da lei é manifestamente inconstitucional por excluir da apreciação da Polícia, do Ministério Público e, principalmente, do Poder Judiciário relevantes elementos de informação de um eventual fato criminoso. Eu desconheço dispositivo similar no ordenamento jurídico brasileiro. Aqui existe uma patente violação do devido processo legal, tanto do ponto de vista do contraditório como da ampla defesa, pois tanto o Ministério Público como o investigado não poderão se utilizar de importantes elementos de prova no momento de apurar, da perspectiva criminal, o que de fato ocorreu.

ESTADO: Qual a necessidade do sigilo?
RODRIGO DE GRANDIS: O sigilo deve existir em razão da eficiência da investigação. Da forma proposta na lei número 12.970/2014 não vislumbro proteção de eficiência, mas uma reserva de espaço investigatório à autoridade aeronáutica que é inexplicável no sistema constitucional brasileiro.

Veja também:
Quatro agentes da Abin foram presos por espionar Eduardo Campos a mando do Governo Federal
'Isso é coisa de quem não gosta de democracia', disse Campos ao prender agentes federais que o espionavam
PT chamou Eduardo Campos de ‘tolo’, ‘playboy mimado’ e 'sem compostura'
Imprensa internacional noticia morte de Eduardo Campos
Marina não é automaticamente a nova candidata
Morte de Campos muda radicalmente eleições, diz 'Financial Times'
Maílson da Nóbrega diz que, agora, Marina é candidata 'natural'
Marina Silva embarcaria no avião que levava Campos, mas mudou agenda
Morre o candidato Eduardo Campos
Eduardo Campos é uma das vítimas de queda de avião em Santos - SP
Homens são detidos soltando fogos de artifício perto de local do acidente que matou Campos
Augusto Nunes critica contradições de Lula sobre Eduardo Campos; veja vídeo
Irmão de Campos defende candidatura de Marina à Presidência
Após morte de Campos, possível aliança entre Marina Silva e Dilma preocupa o mercado financeiro
Recife amanhece falando em 'atentado' contra Eduardo Campos
Quem tem mais medo de Marina: Dilma ou Aécio?
Deputado do PSB diz que resultado sobre caixa-preta é 'muito suspeito'

FAUSTO MACEDO
Blog do Estadão
Editado por Folha Política
Leia mais notícias do poder e da sociedade em Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...