sábado, 6 de setembro de 2014

Após delação de Costa, Dilma diz que não tomará decisão com base em 'especulações'


Imagem: Marlene Bergamo / Folhapress
A presidente Dilma Rousseff (PT) disse neste sábado (6) que vai aguardar as informações oficiais para tomar "todas as providências cabíveis".

"Não haverá nenhum tipo de decisão com base em especulações", disse a presidente que participa neste sábado de um evento em homenagem às mulheres no centro de São Paulo.


O candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, e o prefeito da capital paulista, Fernando Haddad, além de candidatos ao parlamento participaram do evento com a petista.

Leia também: 

Segundo reportagem da revista "Veja" desta semana, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa listou em delação premiada nomes da base aliada da presidente Dilma Rousseff e de integrantes do PT envolvidos com o esquema de corrupção na estatal.

Na lista, consta o nome do ministro Edison Lobão (Minas e Energia), os líderes do Congresso, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), e o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

Além deles, Costa também cita Eduardo Campos, morto no dia 13 de agosto em um acidente aéreo em Santos (SP), o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) e a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), os senadores Ciro Nogueira (PP-PI), Romero Jucá (PMDB-RR) e os deputados Cândido Vaccarezza (PT-SP), João Pizzolatti (PP-SC) e Mário Negromonte (PP).

O tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, disse que nunca tratou de assunto relativo ao partido com o senhor Paulo Roberto Costa e que é "absolutamente mentirosa a declaração de que tenha havido qualquer tratativa, seja pessoal, por e-mail ou mesmo telefônica, com o referido senhor a respeito de doações financeiras ou qualquer outro assunto".

Já a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), disse que repudia as referências feitas a ela pelo ex-diretor da Petrobras. "Nunca participei de nenhum esquema de corrupção e muito menos solicitei ao ex-diretor da Petrobras recursos de qualquer natureza. Tomarei todas as medidas jurídicas cabíveis para resguardar minha honra e minha dignidade".

Eduardo Geraque
Folha de S. Paulo
Editado por Folha Política
Leia mais notícias do poder e da sociedade em Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...