sábado, 6 de setembro de 2014

Jornalista investigativo dos EUA diz que CIA está envolvida no 'assassinato' de Eduardo Campos


Imagem: Reprodução / PressTV
O jornalista Wayne Madsen se especializou em inteligência e relações internacionais, tornando-se conhecido por suas denúncias, de repercussão mundial, a respeito da espionagem empreendida pela NSA - National Security Agency. 

Wayne trabalhou, após sair da Marinha dos Estados Unidos, para a RCA como consultor governamental para contratos com a NSA.

O norte-americano acredita que o avião de Eduardo Campos foi derrubado propositalmente, e que nesse acidente houve envolvimento da CIA, agência de inteligência norte-americana. 

O artigo

Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Sua posição é apresentada no artigo "All factors point to CIA aerially assassinating Brazilian presidential candidate", no site da "Strategic Culture Foundation". Como argumentos para sua tese, o jornalista enfatiza três pontos: o modelo do avião tinha um histórico perfeito em relação à segurança de vôo; a caixa-preta do avião não registrou o vôo; e o avião foi comprado com o uso de empresas fantasma, ficando pouco claro quem era o verdadeiro proprietário da aeronave. Este último aspecto, para o jornalista, é o que chama mais a atenção, e seria uma das marcas registradas das ações da CIA - Central Intelligence Agency. 

Veja também:
Marina na disputa pode ser ruim para Dilma e Aécio, diz Icap
Morte de Eduardo Campos embaralha sucessão presidencial
Dilma sancionou lei que decreta sigilo de investigação de acidentes aéreos
Datafolha e Ibope adiam novas pesquisas após morte de Campos
Tragédia muda cenário eleitoral e causa pânico no mercado financeiro
Candidato ao senado diz que petistas comemoraram morte de Campos e causa polêmica
PSB decide que Marina será a candidata à presidência
Falha na caixa-preta não é usual e piloto não reportou qualquer problema técnico, diz comandante da Aeronáutica
MPF trabalha com hipótese de drone da Aeronáutica ter derrubado avião de Eduardo Campos; veja documento 
Marina diz que não embarcou no avião de Campos por 'providência divina'
Especialistas americanos e franceses afirmam que jato de Campos estava `invertido` antes de cair
Irmão de Campos cobra investigação sobre drone da Aeronáutica desaparecido no dia do acidente
Denise Abreu lembra morte de denunciante do mensalão e diz que queda de avião de Campos deve ser rigorosamente investigada

Imagem: Reprodução/Strategic Culture Foundation
Ainda segundo o jornalista, a agência que enviou uma equipe ao Brasil para investigar o acidente seria, na verdade, especializada em acobertar ações criminosas. 

Motivação

A motivação para o assassinato de Campos seria sua substituição por Marina Silva, que seria, de acordo com ele, "a George Soros puppet", isto é, uma 'queridinha' do movimento da globalização dirigida e da 'sociedade civil', movimento este financiado pelo bilionário George Soros. Segundo ele, Marina teria mais chances de ser eleita e, uma vez eleita, seria muito mais favorável aos interesses do governo Barack Obama, presidente dos EUA, que o governo atual.

Imagem: Reprodução
"The plane crash that killed Brazilian presidential candidate Eduardo Campos, who was running in second place behind incumbent President Dilma Rousseff, has severely harmed Rousseff’s chances for re-election. Campos’s successor on the ticket, former Green Party leader Marina Silva, a George Soros puppet, now stands a very good chance of unseating Rousseff in an expected run-off election.", introduziu.

Para Madsen, a 'Terceira Via' é um movimento internacional, utilizado por políticos financiados por George Soros, para se infiltrar em partidos históricos de esquerda. O grupo não veria problemas no assassinato de um de seus membros para promover outro, como seria o caso no Brasil. Na opinião do jornalista, a morte de Eduardo Campos é uma cópia exata do assassinato do primeiro-ministro de Portugal Sá-Carneiro. Neste caso, os beneficiários da ação seriam Marina Silva e seus aliados.

Neste artigo, Madsen  não apresentou provas, restringindo-se a especulações e comparações com estudos anteriores e informações a respeito do modus operandi da CIA e de supostos interesses da administração Obama e dos EUA na ocorrência.

Controvérsia e histórico

A despeito de ser colunista dos mais diversos jornais e sites, além de ter sido convidado para os mais variados programas de televisão, o  jornalista é visto, também, com ceticismo. Devido aos temas que aborda e em razão, também, da maneira como discorre sobre os mais diversos assuntos de política internacional, chegou a ser classificado, por críticos, como "teórico da conspiração". Wayne alega ter trabalhado, também, para a NSA, quando ocupava o cargo de tenente na US Navy (Marinha dos Estados Unidos).

Em 1999, Wayne foi ouvido, como testemunha, pelo Parlamento Europeu a respeito dos programas de espionagem da NSA, em especial o "ECHELON". Na ocasião, declarou acreditar que a prioridade do programa, destinado a interceptações telefônicas, passou a ser levantar informações relevantes para a economia dos Estados Unidos, com o objetivo favorecer as empresas do país.

Lígia Ferreira
Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...