quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Reinaldo Azevedo afirma que confronto em reintegração de posse foi ato partidário do PT


Imagem: Reprodução / TV Globo
O jornalista Reinaldo Azevedo afirma que os organizadores do confronto que opôs policiais militares e movimentos pela moradia foi, na verdade, um ato político orquestrado por militantes profissionais. Os líderes, segundo o jornalista, são empregados pela prefeitura de São Paulo, governada por Fernando Haddad (PT).
Leia abaixo o texto de Reinaldo Azevedo:
Escrevi ontem aqui que a pancadaria promovida por supostos sem-teto numa reintegração de posse no Centro da cidade de São Paulo não passava de ação partidária. Uma franja ligada ao PT resolveu promover o quebra-quebra na esperança, sei lá, de criar um fato eleitoral. Essa gente ainda não se deu conta de que a baderna tira, não dá, votos. O confronto com a Polícia Militar foi promovido pela Frente de Luta por Moradia (FLM), um movimento ligado ao partido, que pertence a um “coletivo”, como eles dizem, intitulado “Central de Movimentos Populares” (CMP), que é também mero esbirro do petismo. Gosto de demonstrar o que afirmo.
Leia também: 
Militantes do PT são pagos para atrapalhar campanha de Marina 
PT boicotou seções plenárias deste mês para evitar sustação do decreto bolivariano de Dilma
Luciana Genro defende invasão de imóveis para moradia; veja entrevista
PT pagou a chantagista para não revelar mais crimes
'O PT usa técnicas nazistas para manipular', acusa Rachel Sheherazade; assista
'O que me irrita é o PT, a situação do país, a corrupção, a ineficiência', diz Bruno Gagliasso
'Mudamos de uma ditadura para outra, disfarçada de democracia', diz Roger, do Ultraje
Prefeito do PT que pintou quase toda a cidade de vermelho é punido
Ator diz que PT está instalando autoritarismo, populismo e quer o poder a todo custo; assista
Na reportagem do Jornal Nacional, por exemplo, eis que dou de cara com o senhor Raimundo Bonfim, apresentado como coordenador da CMP. 

Sim, eu me lembrava dele. Escrevi sobre este bravo no dia 14 de agosto de 2013. Ele pretendia liderar, então, um protesto contra o governo Geraldo Alckmin, que estava sendo convocado pela página do PT na Assembleia Legislativa. Só isso? Não!

Além de coordenador da tal central, o homem é advogado e, atenção!, funcionário da Liderança do PT na Assembleia, com salário, no ano passado, de R$ 11.380. É isso mesmo o que você entendeu, leitor amigo: é você quem paga a boa vida do sr. Bonfim para que ele ajude a promover o caos.

Na campanha eleitoral de 2012, ele fez caminhada ao lado do então candidato Fernando Haddad, conforme se pode ver abaixo, e posou para fotos com a bandeira do PT. Não é e nunca foi um sem-teto. Trata-se apenas de um militante profissional.


Haddad é grato a toda essa gente, que detém cotas na distribuição de moradias populares na cidade. Um dos coordenadores da FLM, que promoveu a bagunça nesta terça, Osmar Silva Borges, ganhou cargo na Prefeitura: virou assessor da Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab), com salário mensal de R$ 5.538,55. Não foi o único. Também Vera Eunice, coordenadora da Associação dos Trabalhadores Sem-Teto da Zona Noroeste, recebeu uma boquinha na empresa, com salário de R$ 5.516,55. Ou por outra: o grupo que protagonizou as cenas lamentáveis de violência e vandalismo é poder na cidade administrada por Haddad.

Fiquei ainda bastante encantado ou ler e ouvir o depoimento de Juliana Avanci, advogada dos invasores. Contra todas as evidências, contra tudo o que mostravam as TVs, ao vivo; contra todos os fatos, ela afirmou que a Polícia é que deu início ao confronto. A doutora seria apenas membro de uma ONG, o Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos. Apresenta-se simplesmente como uma defensora da causa, sem vínculos com os companheiros.

Veja também:
'É oficial. O PT quer a minha cabeça', diz Danilo Gentili
Azevedo denuncia que vice-presidente do PT 'pediu a cabeça' de jornalistas e pede ajuda a internautas
Marcelo Madureira, do Casseta & Planeta, responde à 'lista negra' do PT: 'Pode vir que eu não tenho medo'; veja
Após criticar o PT, Bruno Gagliasso é ofendido e atacado nas redes sociais
De Paris, 'Repórteres sem Fronteiras', importante na proteção a jornalistas, critica 'lista negra' do PT
'O ódio está no DNA do PT, Lula e Dilma são covardes, vivem de pregar a divisão', acusa jornalista; assista
Demitido do SBT, José Nêumanne Pinto acusa diretor da emissora de ter ligação com o PT
'Fui um dos otários que antes caiu no conto do vigário do PT; a maioria dos que estão apoiando agora recebeu uma fortuna', diz Feliciano
Em entrevista, Gentili diz que PT é autoritário e que o país está regredindo quanto à liberdade de expressão
Pois é… O nome dela está num manifesto de “juristas e advogados” em apoio, então, à candidatura de Haddad à Prefeitura. Ela certamente sabia que o petista, se eleito, faria uma gestão simpática à companheirada e à causa, não é mesmo? E que se note: no hotel invadido e depois desocupado, a polícia encontrou 12 coquetéis molotov.

O que me incomoda nessa gente toda é menos o conteúdo do pensamento, por mais que eu considere lamentável, do que a hipocrisia. Admitam, então, que se trata de uma ação de caráter partidário e que eles avaliam que o caos lhes interessa. Ontem, sustentei aqui que os baderneiros de São Paulo eram apenas os braços operacionais de uma forma de entender o poder, aquela mesma que Lula havia expressado no dia anterior naquela pantomima autoritária e ridícula em frente à sede da Petrobras.

As evidências estão aí.
Folha Política
Leia mais notícias do poder e da sociedade em Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...