sábado, 18 de outubro de 2014

Chefe da Polícia Federal de SP denuncia falta de recursos para a corporação


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O superintendente da Polícia Federal em São Paulo, Roberto Troncon, criticou nesta sexta-feira (17) a falta de estrutura da corporação e disse que é preciso contratar mais policiais ou diminuir as atribuições do órgão.

Troncon afirmou que, embora haja crescimento na arrecadação federal, os investimentos nas instituições ficam "muito aquém das necessidades".


"As necessidades tendem a ir ao infinito, enquanto os recursos são escassos", disse durante inauguração da nova sede da PF em Ribeirão Preto, no interior paulista.

Leia também: 
Marcos Coimbra humilha Lula ao falar sobre inquérito da PF: 'Deixe de ser covarde!'; assista ao vídeo
Agentes da Polícia Federal denunciam que alta cúpula protege políticos e grandes empresários
95% dos policiais federais afirmam que estão sendo perseguidos por terem prendido corruptos

De acordo com Troncon, somente para resguardar os 16 mil quilômetros de áreas de fronteiras terrestres do país seria necessário um efetivo de 12 mil policiais federais, tamanho do atual contingente para o país todo.

Conforme o superintendente, por estas fronteiras são introduzidas armas e drogas no país, e são por elas que saem as riquezas de forma ilegal. "Ou aumenta o número do efetivo ou reduz parte de suas atribuições e as transferem para outros órgãos [de segurança]", disse.

A categoria teve embates nos últimos anos com o governo federal. No dia 7, a Câmara aprovou medida provisória que reestrutura a carreira e eleva salários de agentes, escrivães e papiloscopistas.

O aumento foi negociado com o governo após greve em 2012. O reajuste foi liberado neste ano, antes da Copa do Mundo, após ameaça de nova paralisação no Mundial.

O delegado da PF Lindinalvo de Almeida Filho, de Ribeirão Preto, disse ainda que os policiais estão submetidos a conviver com má estrutura.


Em nota, a superintendência da PF em Brasília afirmou que reconhece que a fronteira exige presença no combate aos crimes transnacionais.

Desde 2012, segundo a PF, foram contratados 1.200 policiais e há concurso em andamento para outras 600 vagas. O órgão também afirmou que, por causa de investimentos, os laboratórios do Instituto Nacional de Criminalística receberão Certificação de Acreditação Internacional.

Veja também: 



Gabriela Yamada
Folha de S. Paulo
Editado por Folha Política
Leia mais notícias do poder e da sociedade em Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...