quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Defesa de Youssef diz que laranja mentiu ao citar propina para o PSDB


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
A defesa de Alberto Youssef informou que vai apresentar ainda nesta quarta feira, 22, à Justiça Federal em Curitiba (PR) um pedido de impugnação do depoimento de Leonardo Meirelles – suposto testa de ferro do doleiro nas indústrias farmacêuticas Labogen. Em depoimento na segunda feira, 20, Meirelles afirmou que ele mantinha negócios com o PSDB e com ex-presidente nacional do partido senador Sérgio Guerra (PE), morto em março.


O criminalista Antônio Figueiredo Basto, que defende Youssef, disse que pedirá ainda uma acareação entre os dois – o doleiro e Meirelles são réus em um dos processos da Operação Lava Jato, sobre superfaturamento nas obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Leia também:
Doleiro diz que movimentou US$ 120 milhões para Alberto Youssef; veja o vídeo do depoimento
Costa diz que pagou propina ao ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra
A 4 dias do segundo turno, diretor da Petrobras alega doença e cancela depoimento à CPI
Revista Exame aborda como o governo Dilma está 'destruindo' gradativamente a Petrobras
Dilma aguarda "dados oficiais" para comentar denúncias de ex-diretor da Petrobras
Marina poupa Dilma e diz que PT 'manteve a quadrilha' na Petrobras
Escândalo da Petrobras cai como bomba na campanha do PT
Dilma afirma que nunca desconfiou de irregularidades na Petrobras
Políticos citados em depoimento têm algo em comum: todos negam
'Petrolão', 'mensalão da Petrobras'... entenda o escândalo de corrupção na Petrobras
Petrobras alertou Dilma sobre ação de diretores
Marina diz que 'PT colocou diretor para assaltar cofres da Petrobras'
Gabeira diz que Brasil é 'abençoado por Deus e roubado com naturalidade'
Revista IstoÉ denuncia como o 'Petrolão' abasteceu a campanha de aliados de Dilma
Revista revela o elo entre os escândalos do mensalão e da Petrobras
Paulo Roberto Costa diz que ficará calado em CPI da Petrobras
STF libera circulação de 'IstoÉ' com reportagem que incrimina Cid Gomes
Paulo Roberto Costa diz que recebeu US$ 23 milhões de empreiteira no exterior
Gerente de “pequenos serviços” desviou R$ 57 milhões da Petrobras, revela investigação da estatal
Ex-diretor da Petrobrás diz que pagou propina a PT, PMDB e PP

“Meu cliente afirma peremptoriamente que nunca falou com Sérgio Guerra, nunca teve negócio com ele e nunca trabalhou para o PSDB”, afirmou o criminalista Antônio Figueiredo Basto. “Estamos pedindo uma impugnação do depoimento do Leonardo e uma acareação entre eles.”

Meirelles é apontado como laranja de Youssef no laboratório Labogen, indústria de remédios que estava falida e que o doleiro usou para tentar conquistar um contrato milionário com o Ministério da Saúde, na gestão do então ministro Alexandre Padilha, para fornecimento de medicamentos. Segundo o Ministério, o contrato não chegou a ser assinado.

O negócio teria sido intermediado, segundo a PF, pelo deputado federal André Vargas (sem partido-PR), que foi flagrado usando um jato pago pelo doleiro.

Meirelles afirmou à Justiça Federal, em audiência da segunda feira, 20, que Youssef trabalhava também com o PSDB, além dos partidos PT, PMDB e PP.

Ele disse ter ouvido o doleiro citar o nome de Guerra em uma conversa telefônica e ainda citou “um outro parlamentar” tucano da mesma região do doleiro.

Veja também: 


Ricardo Brandt e Fausto Macedo 
O Estado de S. Paulo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...