sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Ipea contradiz Fazenda e diz que há recessão técnica


Imagem: Editoria de Arte / Folhapress
Em boletim de conjuntura divulgado em seu site, o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) considerou que o fraco desempenho recente da economia brasileira não pode ser atribuído ao que chama de "choques negativos", como uma crise externa, um apagão ou uma variação brusca de preços.

Para o Ipea, os dois trimestres seguidos de queda do PIB neste ano -que o órgão não hesita em classificar como um quadro de recessão técnica- refletem desaceleração do consumo e do investimento resultantes do menor crescimento da renda, da perda de ritmo do crédito e da perda de confiança dos empresários.

Leia também: 

"A inexistência de culpados óbvios -isto é, de "choques negativos" de grande monta- torna ainda mais significativo o fenômeno da estagnação econômica recente", diz o boletim, preparado pela Diretoria de Estudos e Políticas Macroeconômicas.

A avaliação do Ipea, que é ligado à Presidência da República, contradiz discurso do governo, que tem ressaltado o cenário externo adverso ao justificar a fraca atividade econômica doméstica.

O ministro Guido Mantega (Fazenda) também descarta o selo de recessão para classificar os dois trimestres de queda (de janeiro a junho), uma vez que não há aumento do desemprego.

O Ipea ressalta, de fato, que, ao contrário do que ocorreu em outros momentos de recessão técnica, desta vez a desaceleração econômica recente tem ocorrido de forma gradual, com o desemprego em níveis recordes de baixa e a inflação e o deficit externo sem risco de descontrole.

"As qualificações mencionadas, porém, não significam que os atuais desafios da economia sejam menores ou mais simples", alerta o Ipea, acrescentando que o baixo crescimento do PIB tende a piorar gradualmente a situação do mercado de trabalho e a comprometer as contas do governo.

Veja também: 


Folha de S. Paulo
Editado por Folha Política
Leia mais notícias do poder e da sociedade em Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...