quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Dinheiro devolvido por delatores supera gasto da PF com policiamento


Um único gerente se dispôs a devolver US$ 100 milhões
Imagem: Reprodução / DP
O dinheiro a ser devolvido aos cofres públicos por apenas cinco delatores da Operação Lava Jato já supera todos os gastos da Polícia Federal neste ano em sua atividade-fim - ou seja, policiamento.

Em troca de penas mais brandas, acusados de participar do esquema de propinas na Petrobras se dispuseram a colaborar com as investigações e a ressarcir o erário em cerca de R$ 420 milhões.


É mais do que a PF desembolsa anualmente com controle do tráfego internacional, segurança nas fronteiras, obras e compras de equipamentos, repressão ao tráfico de drogas e aos crimes contra bens da União - as atividades da instituição classificadas como ações de policiamento.

Leia também: 
Varredura acha R$ 4,60 em conta de empreiteiro envolvido no Petrolão
Manifestantes marcam terceiro ato pelo impeachment de Dilma e anulação das eleições; saiba mais
Na véspera das prisões, empreiteiras tentaram acordo com o Ministério Público
Protógenes afirma que juiz da Lava Jato é ameaçado e denuncia aparelhamento do STF e do STJ
"O impeachment de Dilma é uma questão de tempo", diz Bernardo Santoro
Não se faz obra pública no Brasil sem acerto, diz advogado de lobista
Collor caiu por muito menos que o petrolão, lembra Rodrigo Constantino
Lava Jato pode ter atingido também a concessão de aeroportos
Empreiteiras terão de devolver dinheiro para tentar acordo com a CGU
Atual diretoria da Petrobras é ligada a acusados
Marina e Aécio ironizam Dilma por declarações sobre o Petrolão

Do início de janeiro até a semana passada, essas despesas somavam R$ 299 milhões; em todo o ano passado, foram R$ 240 milhões.

No papel, a verba disponível para o ano é maior, de R$ 437 milhões. Esse montante, porém, não será inteiramente liberado, seja por atrasos na burocracia, seja pelo bloqueio de gastos tradicionalmente imposto pela área econômica.

Uma evidência disso é o programa de segurança nas fronteiras, que, dos R$ 84 milhões autorizados no Orçamento, só utilizou R$ 32 milhões até agora.

Um único delator da Lava Jato, Pedro Barusco, ex-gerente da área de engenharia da Petrobras, se comprometeu a devolver US$ 97 milhões, cerca de R$ 247 milhões pelo câmbio desta quinta-feira (20).

Os outros pagamentos virão de Paulo Roberto Costa (ex-diretor, R$ 70 milhões), Alberto Youssef (doleiro, R$ 55 milhões), Julio Camargo (executivo da empresa Toyo Setal, R$ 40 milhões) e Augusto Mendonça Neto (também da Toyo Setal, R$ 10 milhões).

Ao todo, o Orçamento da PF chega a R$ 5,1 bilhões, dos quais R$ 4 bilhões em salários e outras despesas de pessoal.

Veja também: 


Dinheiro Público & Cia.
Editado por Folha Política
Leia mais notícias do poder e da sociedade em Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...