quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Dilma manda às favas todos os escrúpulos, sem cerimônia e sem vergonha, diz Ricardo Noblat


Imagem: Reprodução
Ricardo Noblat, em seu blog, publicou um texto impactante sobre as atitudes da presidente Dilma Rousseff durante todo o processo de se tentar aprovar a chamada "Lei do Calote", inclusive o decreto que libera verbas adicionais aos deputados, condicionadas à aprovação da lei que anistia a presidente de crime de responsabilidade. Para Noblat, o conceito de "diálogo" para a presidente se resume a: "eu mando e você obedece".


Leia abaixo o texto de Noblat: 

Quer saber o que é diálogo no entendimento da presidente Dilma Rousseff?
Em resumo, é o seguinte: eu mando e você obedece. Se obedecer será gratificado. Do contrário, prepare-se para sofrer represália.
Fui claro?
Ninguém foi mais claro do que a própria Dilma.
Leia também:
Na semana passada, os partidos aliados do governo fizeram corpo mole e faltou quórum para que o Congresso votasse o decreto assinado por Dilma que muda a meta fiscal de 2014.
Com esse objetivo, está marcada para esta noite uma nova sessão do Congresso.
O que fez Dilma para “convencer” senadores e deputados a aprovarem o decreto?
Editou outro decreto que condiciona uma nova liberação de R$ 444,7 milhões para pagamento das emendas individuas dos parlamentares ao Orçamento da União à aprovação do decreto que muda a meta fiscal deste ano.
É dando que se recebe, segundo São Francisco de Assis.
Os R$ 444,7 milhões garantem uma fatia de R$ 748 mil para cada um dos 513 deputados e 81 senadores – dinheiro a ser empregado em obras nos redutos eleitorais deles.
Se a meta fiscal não for mudada, adeus o dinheiro das emendas. É o que está dito no novo decreto assinado por Dilma.
Para que os parlamentares não sejam amanhã acusados de trocar o voto por dinheiro, Dilma se reuniu ontem à noite com 23 líderes de partidos (isso mesmo, 23 líderes de partidos) e pediu o empenho deles pela aprovação da nova meta fiscal.
Era a desculpa que queriam os líderes para justificar o voto dos seus liderados. Como recusar um pedido da presidente? E logo agora quando a caneta dela está cheia de tinta para assinar promoções e distribuir cargos?
Verdadeiramente espantosa a sem cerimônia com que Dilma 2, a pragmática, está se impondo à Dilma 1 - a ex-faxineira ética.
Sem cerimônia e sem vergonha.





Vídeos relacionados


 


Luciana Camargo
Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...