terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Vila para atleta na Olimpíada custará R$ 254,9 mi, 456% mais que o previsto


Imagem: Divulgação
O  Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio-2016 pretende pagar R$ 254,9 milhões pelo aluguel do condomínio onde será instalada a Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca, valor 456% maior do que a primeira previsão oficial, de R$ 45,8 milhões.


É o que mostra acórdão do TCU (Tribunal de Contas da União) publicado na última quinta-feira (11), contendo um relatório de auditoria do tribunal.

Leia também: 

O documento mostra que a carta de garantia oferecida pela empreiteira Carvalho Hosken S.A. Engenharia ao COI (Comitê Olímpico Internacional), na proposta do Rio como cidade-candidata, estabelecia o valor máximo de US$ 18,9 milhões, "equivalente a R$ 45,8 milhões, ao câmbio de 25/9/2014, para locação da 'Vila de Atletas', enquanto que o valor atual estimado a ser pago (pelo Comitê Rio 2016) é de R$ 254.940.808,99."

A Ilha Pura Vila dos Atletas é um lançamento conjunto das empreiteiras Carvalho Osklen e Odebrecht, esta última uma das investigadas na operação Lava Jato da Polícia Federal, que desmantelou um esquema bilionário de corrupção envolvendo empreiteiras e a Petrobras.

O empreendimento na Barra é um projeto residencial de 3.604 apartamentos, distribuídos por 31 prédios de 17 pavimentos, em sete condomínios independentes. As unidades já estão à venda, vão de R$ 780 mil (apartamentos de dois dormitórios de 82 m²) a R$ 2 milhões (coberturas de 320m²). As construtoras afirmam estar investido R$ 2 bilhões no negócio. Já o VGV (Volume Geral de Vendas) estimado é de R$ 4 bilhões.

Pelo usufruto deste empreendimento por dois meses, o Comitê Rio 2016 está pagando R$ 254,9 milhões. Neste valor está incluído o custo de desmontagem e reforma dos apartamentos (processo chamado de reconversão) após o uso durante os Jogos, para que as empreiteiras recebam o empreendimento pronto para entrega a seus compradores.

Na proposta constante na candidatura vencedora do Rio para os Jogos de 2016, o comitê olímpico não arcaria com mais do que R$ 45,8 milhões para montar, utilizar e devolver a vila a seus construtores.

Governo dependerá de mais impostos para ajustar contas - e pode "ressuscitar" Cide e CPMF

Diante deste aumento no custo previsto depois que a cidade do Rio de Janeiro foi escolhida como sede olímpica, o TCU determinou que a Caixa Econômica Federal realize uma avaliação independente do valor da locação do condomínio, bem como uma avaliação do valor da reconversão da Vila dos Atletas, "reconversão esta que será realizada às expensas do Comitê Rio 2016", segundo informa o acórdão do TCU.

A ilha Pura  tem 870 mil m², dos quais 247 mil m² estão ocupados pela construção da Vila dos Atletas e também da chamada Vila da Mídia.

O complexo de condomínios fechados terá um parque de 72.000 m², sete lagos e duas fontes, totalizando 8.500 m² de espelhos d'água. Também tem 4,5 quilômetros de ciclovias e pistas de cooper, seis quadras de tênis, campo de grama sintética, quadras poliesportivas, com todo o paisagismo assinado pelo escritório Burle Marx.

A propaganda de venda das empreiteiras afirma que os apartamentos serão entregues prontos para morar no segundo semestre de 2017.

Veja também: 


Vinícius Segalla
UOL
Editado por Folha Política
Leia mais notícias do poder e da sociedade em Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...