terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Bloqueio de caminhoneiros chega a Santos e já afeta todo o país


Imagem: Reprodução / Ecovias
O bloqueio de estradas por caminhoneiros começou a afetar também o transporte de mercadorias nos portos e ferrovias do país. Nesta terça-feira, os manifestantes fecharam os acessos ao Porto de Santos (SP), o maior do Brasil.

Ao mesmo tempo, o governo conseguiu nas justiças do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais a liberação de trechos interditados pelos protestos.

Os bloqueios afetaram também a operação do porto de Paranaguá, no Paraná, principal terminal de exportação de produtos agrícolas do país. Segundo a administração do porto, apenas 10% dos carregamentos previstos para esta terça-feira foram realizados.

Leia também: 

Em Santa Catarina, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) começou a desocupar trechos de rodovias com sua Tropa de Choque.

Desde segunda-feira (23), o terminal ferroviário de Mato Grosso deixa de exportar 12,8 mil toneladas de grãos por dia, devido aos protestos que impedem a circulação dos caminhões.

As manifestações, iniciadas na semana passada, conseguiram maior adesão e foram registrados atos em 13 estados ao longo do dia.

Decisões judiciais

A Justiça Federal de Pelotas, no Sul do Rio Grande do Sul, determinou que caminhoneiros desocupem três rodovias federais da região obstruídas por protestos e bloqueios da categoria: BR-116, BR-293 e BR-392.

Em Minas Gerais, decisão judicial determinou multa de R$ 50 mil por hora de ocupação indevida das rodovias.

VEJA COMO ESTÁ A SITUAÇÃO EM CADA ESTADO

BA
Caminhoneiros iniciaram protestos na manhã desta terça-feira na Bahia. À tarde, eles fecharam a Via Expressa, em Salvador, no sentido porto.
Também há interdições na cidade de Luís Eduardo Magalhães, região oeste do estado, e em Feira de Santana. Veja aqui os pontos com bloqueios.

CE
Os bloqueios também chegaram ao Ceará nesta terça-feira, onde cerca de 60 caminhões fecham os dois sentidos da BR-116, em Fortaleza. Apenas uma faixa de cada lado está livre para o trânsito de veículos pequenos, de emergência e de caminhões com carga viva.
O trecho é um dos principais acessos à capital cearense e com intensa movimentação de cargas, já que a rodovia liga o Ceará ao Rio Grande do Sul. Veja aqui os pontos com bloqueio no estado e no país.

SP
Um protesto de caminhoneiros bloqueia os acessos ao Porto de Santos desde a manhã desta terça-feira. A fila de caminhões fez com que a Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), liberasse a circulação de veículos de passeio, que chegam da capital paulista, pelo acostamento da Rodovia Anchieta.
Um outro grupo realiza um ato de protesto no km 560 da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), em Parapuã, interior de São Paulo, desde as 11h45.
De acordo com a Polícia Militar Rodoviária de Adamantina, os veículos comuns são liberados enquanto os motoristas de caminhões são convidados a aderir ao movimento. Veja aqui os pontos de bloqueio no estado.

MG
Em Minas Gerais, os caminhoneiros interditavam parcialmente, nesta terça-feira, a Rodovia Fernão Dias, em Igarapé, na Grande BH; em Oliveira, no Centro-Oeste; e em Perdões, no Sul; e em Santo Antônio do Amparo. Veja aqui os pontos de bloqueio no estado.
São registrados bloqueios também na BR-262 e na BR-040. Manifestantes fecharam ainda o trecho da MG-050 que liga Divinópolis a Formiga.
A manifestação na Região Metropolitana afeta a produção de veículos na Fiat pelo segundo dia consecutivo. Segundo a assessoria de imprensa da empresa, devido à falta de peças que não foram entregues não é possível retomar a produção, e turnos foram suspensos.
A paralisação no Centro-Oeste de Minas já provoca reflexos nos postos de combustíveis. Em Oliveira, pelo menos três já confirmaram que estão fechados e outros têm quantidade mínima para abastecimento.

Leia também: 

PR
Segundo a PRF, até as 16h20 desta terça, o estado tinha 31 pontos de interdição em rodovias.
A paralisação afetou as operações do Porto de Paranaguá. Dos 900 caminhões que deveriam descarregar no pátio nesta terça, apenas 45 chegaram. Segundo a administração, 1.569 caminhões também deixaram de carregar os grãos do porto. 
Os bloqueios também causaram falta de combustíveis em alguns postos do sudoeste e do oeste do Paraná. Naqueles em que ainda havia combustível, o litro da gasolina chegou a R$ 5.
Indústrias de alimentos, agricultores e pecuaristas do oeste, sudoeste e norte do Paraná estão suspendendo as produções. Frigoríficos em Francisco Beltrão, Dois Vizinhos e Toledo deixaram de fazer o abate de aves.
Em Marmeleiro, nesta terça, um produtor teve que jogar fora 3 mil litros de leite, já que os caminhões do laticínio para quem fornece em Santa Catarina não conseguem chegar à propriedade no sudoeste do Paraná desde o dia 18.
Em Santo Antônio do Sudoeste, as aulas nas escolas municipais foram canceladas, e os serviços de limpeza, interrompudos.

SC
Em Santa Catarina, onde os protestos ocorrem desde quarta-feira (18), há pelo menos 32 rodovias estaduais e federais com bloqueios de caminhoneiros.
Os atos se concentram, principalmente, no Oeste do estado, mas há bloqueios também na Serra, no Vale do Itajaí, no Sul e no Norte. Veja aqui os pontos de bloqueio no estado. 
Segundo o Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados (Sindileito), por causa dos bloqueios a coleta de leite no estado pode ser 100% interrompida. O Sindicato dos Postos de Combustíveis de Chapecó afirma que 90% dos postos do oeste catarinense estão sem conbustível.
A maioria dos frigoríficos do estado deve parar a produção nesta terça-feira, segundo o diretor-executivo do Sindicato das Indústrias de Carne e Derivados de Santa Catarina (Sindicarne) e da Associação Catarinense de Avicultura (ACAV), Ricardo de Gouvêa.
"O prejuízo é muito grande. Hoje ainda não é possível mensurar. Ele é do tamanho de toda a cadeia produtiva", disse Gouvêa.

Veja também: 




G1
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...