domingo, 29 de março de 2015

General critica o Governo Dilma e exalta o Regime Militar em palestra no Clube Militar


Imagem: Montagem / FP
Em palestra no lançamento da "Campanha pela Moralidade Nacional" do Clube Militar, o presidente da entidade, general da reserva Gilberto Pimentel, atacou nesta quinta-feira, 19, o governo federal. Ele citou o que definiu como "quadro crítico que vive a nação" e exaltou o a implantação do Regime Militar em 1964, que chamou de "revolução democrática" e "um dos momentos memoráveis" em que o Clube esteve presente na história do País.


"O clube é absolutamente contra intervenção. Somos a favor de soluções previstas na Constituição", disse o general. Indagado sobre a defesa que havia feito do Regime Militar, declarou: "Fui absolutamente a favor e participei da revolução democrática de 1964. Mas ali a sociedade pediu a intervenção das Forças Armadas, foi muito diferente do que acontece hoje. A mídia pediu."



Sobre torturas e assassinatos ocorridos no período ditatorial, não quis falar. "Não discuto isso. Digo que os políticos devem ter juízo para evitar que o País entre em um caos e alguém tenha que tomar conta. Em 1964, os jornais e a sociedade pediam a intervenção das Forças Armadas. Isso não ocorre hoje. Hoje, temos um governo que não está agradando, mas está dentro da lei."


General diz que atitude de novo ministro da Defesa de Dilma é imperdoável
Marcha pedindo impeachment de Dilma e intervenção militar finaliza na Praça da Sé, veja imagens
Exército brasileiro possui munição para uma hora de guerra
Comando Militar do Sudeste descobre que Cuba infiltrou militares no Mais Médicos
Bolsonaro diz que há exército de cubanos no Brasil e que poderá haver derramamento de sangue; assista ao vídeo
General Paulo Chagas pronuncia-se contra o PT, expõe planos do partido e atinge milhares de pessoas; veja
'Não acredito nas lágrimas de crocodilo da terrorista que governa este país', diz general Arlenio Souza da Costa
FHC critica 'Marcha da Família' e diz que 'população não quer mudar o regime' 
Coronel Moézia chama comandantes militares de covardes e traiçoeiros

O único palestrante convidado foi o empresário James Akel, que se referiu à presidente Dilma Rousseff como "guerrilheira" e afirmou que teria "dado um chute" nela no último debate antes da eleição de 2014. Foi aplaudido pelas cerca de 50 pessoas no Salão Nobre do Clube Militar.

O palestrante também afirmou que "impeachment não é golpismo". Indagado sobre a fala do convidado, o general disse que "hoje ainda não estão reunidas as condições para se chegar a isso".

Segundo Pimentel, o objetivo da campanha é reunir até abril artigos para debater caminhos "na busca da ética", a partir da constatação de "distorções" como "corrupção em todos os níveis", "os direitos das minorias prevalecendo sobre os da maioria e "imposição do politicamente correto". Os textos serão publicados no site do clube.



Estadão Conteúdo via Yahoo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...