sexta-feira, 3 de abril de 2015

Contratos pagos pelo BNDES no exterior são concedidos às empreiteiras sem licitação nem controle externo


Imagem: Reprodução / DP
Empresas enroladas no assalto à Petrobras, como OAS, Odebrecht e Queiroz Galvão, ganharam do BNDES dezenas de financiamentos de obras no exterior. Somente as vinte principais obras totalizam US$ 8,5 bilhões (R$ 27 bilhões). A “caixa preta” do BNDES guarda os segredos desse esquema engenhoso, que transfere recursos do Tesouro para empreiteiras sem licitação e até sem autorização do Senado Federal.
Leia também: 
Em meio a crise energética, Brasil vai doar usina à Bolívia
Esposas de opositores venezuelanos presos pedem ajuda da América Latina
Aécio diz que Brasil é cúmplice da escalada autoritária na América Latina
Fundo de pensão dos Correios investia na Venezuela e nas empresas de Eike Batista

Basta o país contratar empreiteira brasileira e o BNDES paga a obra, com direito a 20 anos de carência, contrato secreto e juros irrisórios.

O país com obra financiada pelo BNDES não vê a cor do dinheiro, que é pago diretamente à empreiteira amiga que realiza o serviço.

Órgãos de controle do Brasil não têm prerrogativa de fiscalizar obras no exterior, por isso não há como conferir o serviço das empreiteiras.

A maioria dos países “financiados” por meio do BNDES têm governos autoritários e não têm órgão de controle, como Tribunal de Contas.

Veja também:











Cláudio Humberto via Diário do Poder
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...