terça-feira, 16 de junho de 2015

Após bronca de Lula, PT comparece em peso e protesta na CPI da Petrobras


Imagem: Reprodução / Veja
Após a bronca do ex-presidente Lula pela aprovação da convocação do presidente de seu instituto, Paulo Okamotto, petistas compareceram em peso à sessão da CPI da Petrobras nesta terça-feira (16) e protestaram contra as votações da semana passada.


A sessão começou por volta das 10h, com o objetivo de ouvir depoimentos de dois ex-funcionários da empresa Sete Brasil, mas os petistas pediram a leitura da ata da última reunião e passaram a fazer críticas sobre a votação, que teve dentre os requerimentos aprovados a convocação de Okamotto.

Leia também:
Lula queixa-se a Temer de chamada de Okamotto por CPI e dá bronca no PT

Durante o 5º Congresso do PT na semana passada, Lula reclamou a parlamentares petistas da falta de articulação da bancada que permitiu a convocação do presidente de seu instituto.

Nesta terça, todos os seis petistas integrantes da CPI compareceram, ao contrário de reuniões anteriores em que a presença estava sendo menor.

O deputado Afonso Florence (PT-BA), vice-líder da legenda na Câmara, reclamou que não constava da ata a "coincidência" de a sessão do plenário da Câmara ter sido suspensa quando a votação ocorreu na CPI –se o plenário da Casa estivesse discutindo a ordem do dia, a CPI não poderia fazer votações, segundo o regimento da Câmara.

O deputado Valmir Prascidelli (PT-SP) chegou a questionar se haveria pertinência do caso da aquisição da refinaria de Pasadena pela Petrobras ser analisado pela CPI, negócio que causou prejuízo à estatal.

O deputado Leo de Brito (PT-AC) anunciou, em nome da bancada do PT, que vai entrar com um recurso ao plenário da Câmara contra a convocação de Okamotto, argumentando que os requerimentos não poderiam ter sido aprovados em bloco, mas que teriam que ser votados individualmente.

Leia também: 
Após vazamento de memorando, Itamaraty vai liberar acesso a documentos sobre Lula e Odebrecht
'Odeio Lula, ele faz uma glamourização da ignorância, é um imbecil', diz o ator Lima Duarte
Lula ataca quem critica altos impostos no Brasil e defende elevada carga tributária; veja o vídeo

As reclamações dos petistas atrasaram o início dos depoimentos e provocaram discussões com os demais integrantes da comissão. Até a publicação desta reportagem, os depoimentos ainda não haviam começado.

O deputado Izalci (PSDB-DF) atribuiu os protestos ao fato de que Lula "deu uma esculhambação geral nos seus empregados ou nos seus comandados. Inclusive chegou ao cúmulo de chamar a atenção do vice-presidente da República [Michel Temer, do PMDB]".

Na última quinta (11), o ex-presidente telefonou para Temer e reclamou da convocação de Okamotto. Em tom de cobrança, segundo a Folha apurou, o ex-presidente quis saber o que havia acontecido para que a convocação do presidente do Instituto Lula fosse aprovada.

O presidente da CPI, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), disse que não iria admitir "ilação" sobre sua atuação e afirmou que Temer nunca lhe telefonou para interferir na CPI.

Veja também: 




Aguirre Talento
Folha de S. Paulo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...