quinta-feira, 25 de junho de 2015

Autor de habeas corpus para livrar Lula da prisão diz que fez isso porque 'odeia o Paraná'


Imagem: Reprodução / Estadão
Mauricio Ramos Thomas, de 50 anos, residente em Campinas (SP) se apresenta como consultor. Na tarde de quarta-feira, 24, ele entrou com um pedido de habeas corpus preventivo para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A medida, segundo ele, busca impedir que o petista seja preso, caso alguma ordem neste sentido seja expedida contra o ex-presidente no âmbito da Operação Lava Jato.

“Quando os advogados não conseguem resolver certos problemas, eles me chamam”, afirma.

Ele contou que já havia impetrado um habeas corpus em favor do ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró. Diz ainda que estudou ingressar com o mesmo pedido em favor do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Ambos estão presos na Lava Jato, por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro.

Leia também: 

No caso de Vaccari, o consultor afirma que desistiu, porque o petista tem como defensor o criminalista Luiz Flávio Borges D’Urso.

O sr. pediu habeas corpus para o ex-presidente Lula?
Sim, fui eu que pedi.

Por quê?
Basicamente, porque eu sou paranaense, mas odeio o Paraná. Eu tenho vários casos no Paraná e todos os casos no Paraná tem maluquice. Todos os meus casos no Paraná tem maluquice, seja eu como autor, seja eu como réu. Não réu penal, réu civil. Existe uma ameaça concreta de que o Lula pode ser preso. O Sérgio Moro já atuou no Mensalão, caso você não saiba.

Conhece Lula?
Apertei a mão dele uma vez em 1982, 1983, sei lá o quê.

O sr. é filiado a algum partido?
Não. Eu voto no PT e voto sempre no Ivan Valente, do PSOL. Mas veja bem, não tem nada a ver (o habeas corpus) com política, não. Quando eu acredito numa coisa, eu faço a coisa, entendeu? Eu já fiz para várias pessoas, de graça. Quando eu acredito, eu faço.

Já tinha pedido habeas corpus para outras pessoas?
Eu tinha pedido para o Nestor Cerveró. Impetrei e está para ser julgado. Só que estão dando um jeitinho lá, como estão dando um jeitinho no Supremo. Ninguém sabe essas coisas. A única pessoa que conseguiu alguma coisa no Mensalão fui eu. Mas ninguém sabe disso.

Veja também: 




Julia Affonso, Fausto Macedo, Ricardo Brandt e Valmar Hupsel Filho
O Estado de S. Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...