quinta-feira, 25 de junho de 2015

Colunista explica como a mulher do governador de Minas recebeu cerca de R$ 4 milhões


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O colunista da Veja, Felipe Moura Brasil, faz um resumo comentado de reportagem da revista Época que mostra que a esposa do governador Fernando Pimentel, do PT, recebeu quase R$ 4 milhões entre 2011 e 2014. Segundo o colunista, a primeira-dama de Minas Gerais teve ajuda do marido para receber indiretamente dinheiro do BNDES.


Leia abaixo o texto de Felipe Moura Brasil: 

A mulher do petista Fernando Pimentel, Carolina Oliveira, recebeu 3,7 milhões de reais entre 2011 e 2014, segundo a Época, sendo:
- R$ 300 mil da empresa de publicidade Pepper;
- R$ 362,8 mil do grupo francês Casino, dono do Pão de Açúcar;
- R$ 595 mil da empresa de alimentos Marfrig;
- R$ 2,5 milhões de Mario Rosa, coordenador da campanha de Fernando Pimentel.
Leia também: 

Mario Rosa é ligado a Benedito Oliveira, o Bené, um dos financiadores da campanha do petista e cuja família controla a Gráfica e Editora Brasil, que recebeu R$ 294,2 milhões dos cofres públicos entre 2004 e 2014.
Enquanto a mulher de Fernando Pimentel embolsava dinheiro da Marfrig, a Marfrig embolsava dinheiro do BNDES, vinculado ao Mdic.
E adivinhe quem comandava o Mdic! Ele mesmo: Fernando Pimentel, então ministro do Desenvolvimento de Dilma Rousseff.
Em janeiro de 2014, o banco estatal adiou o vencimento de um título de dívida da Marfrig no valor de R$ 2,15 bilhões, em operação sem a qual o frigorífico poderia quebrar.
Ao todo, o BNDES investiu cerca de R$ 3,5 bilhões na companhia, salvando-a da falência.
Tem mais: em novembro de 2013, o então ministro Pimentel e sua mulher ficaram hospedados num hotel de luxo baiano com todas as despesas pagas por Bené. Diz a revista:
“O casal ficou hospedado no resort ‘Kiaroa Eco-Luxury’, localizado em Maraú, na Bahia, por dois dias (15 a 17 de novembro). Num dos trechos da decisão que autorizou a segunda fase da operação, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Herman Benjamin, afirmou: ‘apurou-se que o suposto operador da organização criminosa em tese, Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, possui relação profissional e de amizade com o Governador do Estado de Minas Gerais e com sua esposa, Carolina de Oliveira Pereira, a ponto de ter sido, segundo a Polícia Federal, por providenciar a reserva, o transporte aéreo em avião particular e o pagamento de despesas de hospedagem para ambos’”.
Coisa linda.
Os esquemas petistas se repetem. Essa gente não tem cura.

 Veja também: 


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...