quarta-feira, 10 de junho de 2015

Dilma diz aos líderes da União Europeia que "rechaça" possíveis sanções à Venezuela


Imagem: Geert Vanden Wijngaert/Associated Press
A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (10) aos líderes da União Europeia, em Bruxelas (Bélgica), que "rechaça" qualquer tipo de sanção à Venezuela.

A declaração foi um recado oficial ao bloco europeu sobre sua posição em relação ao decreto dos EUA que considera a Venezuela "ameaça incomum e extraordinária", impondo sanções ao país sul-americano.

"Nós, países latino-americanos e caribenhos, não admitimos medidas unilaterais, golpistas e políticas de isolamento. Sabemos que tais medidas são contraproducentes, ineficazes e injustas. Por isso, rechaçamos a adoção de quaisquer tipo de sanções contra a Venezuela", afirmou Dilma, em discurso na cúpula entre a UE e a Celac (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos), que reúne representantes de 61 países –ao menos 40 chefes de Estado estão presentes no encontro, segundo a organização.

Leia também: 

Líderes da Celac querem incluir no comunicado final da reunião em Bruxelas uma espécie de manifestação a favor da Venezuela –a proposta, no entanto, tem resistência de líderes da UE.

O encontro na Bélgica é marcado pela ausência de líderes sul-americanos, como o próprio presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e o cubano Raúl Castro, que enviou seu vice, Miguel Díaz-Canel.

Apesar da ausência de Raúl, a aproximação de EUA e Cuba deve ser celebrada no comunicado final em Bruxelas, mas sem avançar nas relações com a UE, que debate seus passos em relação à ilha.

No seu discurso, Dilma também comentou a questão de Cuba. "O fim do anacrônico embargo, que há mais de cinco décadas vitima o povo cubano, é imprescindível para completar essa mudança", disse a presidente.

Especificidades devem ficar fora do texto final da cúpula –esperam-se apenas menções genéricas sobre o fortalecimento das relações políticas e econômicas entre as duas regiões.

Um dos temas abordados pode ser o progresso das negociações para instalar um cabo submarino de fibra ótica ligando Europa e América do Sul, entre Lisboa (Portugal) e Fortaleza (Brasil).

Veja também: 

 
 

Leandro Colon
Folha de S. Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...