sábado, 6 de junho de 2015

Traficantes brasileiros saem do país para atuar nas Farc, diz Polícia Federal


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Traficantes brasileiros estão deixando de atuar no Brasil para lucrar com o transporte de cocaína das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) para o México, apontam investigações da Polícia Federal.

Investigações descobriram o trajeto de aeronaves que partem do Brasil, são abastecidas com a droga na Venezuela, na fronteira com a Colômbia, e seguem para Honduras.


De lá, a cocaína vai de barco ao México, onde é pulverizada para entrar nos EUA. Os compradores são do cartel mexicano Los Zetas, com quem os brasileiros negociavam.

Leia também: 

O esquema está descrito em relatório enviado à Justiça pelo delegado Rodrigo Levin, da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Superintendência PF em São Paulo.

Segundo as apurações, os traficantes pagavam propinas de até US$ 360 mil a integrantes das Forças Armadas da Venezuela e de Honduras para cruzar o espaço aéreo desses países sem serem abatidos.

Após a entrega em Honduras, as aeronaves –compradas por cerca de US$ 1 milhão cada nos EUA– eram queimadas pelos pilotos, geralmente brasileiros, que voltavam ao Brasil em voos comerciais. 

Dois suspeitos de integrar uma quadrilha que explorava a rota estão presos desde 2014, entre eles Paulo Jones Flores, principal investigado.

Leia também: 

Outros suspeitos, como os empresários Ronald Roland e Manoel Gonsalez, respondem em liberdade. Segundo a PF, os dois trabalhavam para Flores. Em 2013, porém, houve um racha, e eles passaram a enviar seus próprios aviões.

Para a PF, outros grupos estão usando a rota, em voos praticamente diários. Em 2013, a apreensão de helicóptero do senador Zezé Perrella (PDT) no Espírito Santo, carregado com cocaína, fazia parte das apurações. A PF descartou a participação do senador e responsabilizou o piloto.

A Folha não localizou os advogados dos suspeitos nem conseguiu contato com autoridades da Venezuela e da Colômbia para comentar a suspeita de pagamento de propina a oficiais desses países.

Veja também: 

    
    

O Estado de S. Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...