sexta-feira, 24 de julho de 2015

Procuradoria pede documentos sobre Odebrecht e Venezuela ao Itamaraty


Porto de Mariel, em Havana (Cuba), umas das obras
da Odebrecht no exterior financiadas pelo BNDES
Imagem: Liu Bin/Xinhua
A Procuradoria da República no Distrito Federal solicitou ao Itamaraty toda a documentação diplomática que inclua menções à Venezuela ou à empreiteira Odebrecht nos últimos dez anos. 

O pedido faz parte da investigação sobre o empréstimo do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), no valor de US$ 747 milhões, para financiar a construção pela Odebrecht de duas linhas nos metrôs nas cidades de Caracas e Los Teques. Os contratos foram firmados em novembro de 2009. 

Leia também: 

No documento obtido pela Folha, o procurador Igor Nery Figueiredo pede ao secretário-geral de Relações Exteriores, Sérgio Danese, a "cópia integral" de "todos os memorandos, ofícios, circulares, atas de reunião, telegramas, correspondências, papéis de trabalho, notas técnicas e outros documentos que, entre os anos de 2005 e 2015, mencionem Venezuela e/ou a construtora Odebrecht". 

A abrangência do pedido se justifica, segundo a procuradoria, para analisar o período de negociações anterior a 2009, mas também pode expor detalhes de negociações sobre dezenas de outros projetos financiados pelo BNDES na última década. 

Segundo dados disponibilizados pelo banco, desde 2007 a Odebrecht recebeu financiamentos do BNDES em mais de 70 projetos em oito países, em valores que ultrapassam US$ 8,3 bilhões. 

Juntos, os projetos de construção de parte do metrô de Caracas e dos 12 km do metrô de Los Teques somam a segunda maior quantia financiada pelo BNDES para a Odebrecht, atrás apenas do projeto de construção da Usina Siderúrgica Nacional, também na Venezuela, no valor de US$ 865 milhões. 

No período de documentação solicitado pela procuradoria se insere ainda o projeto de construção do porto de Mariel, em Cuba, com financiamento de US$ 682 milhões, e projetos da Odebrecht na República Dominicana, em Angola, Moçambique, Argentina, Equador e Guatemala. 

Apesar de o pedido de documentação se referir à investigação sobre o financiamento para as linhas de metrô na Venezuela, a procuradoria diz não excluir a possibilidade de, caso haja indícios de irregularidade em outros contratos no material solicitado ao Itamaraty, abrir um novo procedimento investigatório ou encaminhar os documentos se eles se referirem a objetos de outras investigações no órgão. 

A Procuradoria da República no Distrito Federal abriu recentemente uma investigação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por suposto tráfico de influência para facilitar negócios da Odebrecht com governos estrangeiros. 

Consultado pela Folha, o Itamaraty disse apenas que protocolou o recebimento e tomará as "providências necessárias".

Veja também: 

     

Isabel Fleck 
Folha de S. Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...