terça-feira, 25 de agosto de 2015

Doleiro da Lava Jato diz na CPI que ‘outro delator’ vai esclarecer investigação sobre Palocci


Imagem: Reprodução / iG
Em acareação na CPI da Petrobrás nesta terça-feira, 25, o doleiro Alberto Youssef afirmou que um outro delator da Lava Jato vai esclarecer “em breve” o episódio envolvendo o suposto repasse de R$ 2 milhões da cota do PP no esquema ao ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci (Governo Lula) para a campanha de Dilma Rousseff à Presidência em 2010.


“Vou me reservar ao silêncio porque existe uma investigação nesse assunto do Palocci e logo vai ser revelado”, respondeu o doleiro ao ser questionado pelo relator da comissão, deputado Luiz Sérgio (PR-RJ) sobre o episódio. O doleiro, contudo, negou ter conhecido Palocci e que o repasse de R$ 2 milhões foi destinado à campanha de Dilma. ”Eu não conheço o Palocci, não conheço o assessor, nem o irmão e ninguém fez pedido a mim para que eu arrebanhasse recurso para a campanha da Dilma de 2010″, afirmou o doleiro.

Leia também:

Na acareação, o doleiro da Lava Jato afirmou. “Tem outro réu-colaborador que está falando. Eu não fiz esse repasse. Assim que essa colaboração for divulgada, vocês vão saber quem pediu e quem repassou os recursos.”

Seu depoimento destoa da versão do ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, que afirmou ter sido avisado por Youssef na época que o repasse de R$ 2 milhões da cota do PP no esquema da Petrobrás seria para a campanha de Dilma em 2010 a pedido de Antônio Pallocci.

Na acareação desta tarde durante a sessão da CPI na Petrobrás ambos mantiveram suas versões, dadas em depoimentos ao Ministério Público Federal no ano passado, mas o doleiro sinalizou que o caso será esclarecido em breve e que há um novo delator colaborando com as investigações sobre isso.

A investigação sobre Antonio Palocci está sendo realizada pela força-tarefa do Ministério Público Federal, com base no Paraná.

Pessoas próximas do ex-ministro avaliaram positivamente o relato do doleiro na CPI. Esses interlocutores de Palocci consideram que Youssef quis dizer que os fatos serão ‘devidamente esclarecidos no sentido de que não houve o pedido (de R$ 2 milhões por parte do ex-ministro)’.

Para os aliados de Palocci, o doleiro foi categórico ao dizer que ‘não conhece Palocci, nunca lhe pediu nada, não conhece nenhum assessor do Palocci’.

Veja também: 






Mateus Coutinho
O Estado de S. Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...