quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Picciani já articula para assumir vaga de Eduardo Cunha


Imagem: Zeca Ribeiro / Agência Câmara
Um dia após a instauração do processo de cassação do mandato de Eduardo Cunha no Conselho de Ética, o presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani, desembarcou nesta quarta-feira em Brasília, ampliando o debate sobre a sucessão à presidência da Câmara. Ele esteve no Palácio do Planalto reunido com a presidente Dilma Rousseff, o ministro Ricardo Berzoini (Governo) e o assessor especial Giles Azevedo. O líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani — filho de Jorge — é visto pelo Planalto como um fiel aliado e o melhor nome para assumir a vaga de Cunha.


Segundo relatos de deputados da base, a sucessão foi tratada na reunião com Dilma, que já esteve ao menos duas vezes com os Picciani desde meados deste ano para negociações diretas depois que Cunha rompeu com o governo. Depois, Jorge Picciani esteve também com o ex-deputado Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão. Segundo relatos, a conversa também tratou da sucessão na Câmara, mas Valdemar teria dito que “não é momento” de se discutir o assunto e não ofereceu garantias de que o PR irá apoiar Leonardo Picciani para a presidência da Câmara.

Leia também: 

Cunha está irritadíssimo com Leonardo. Além das conversas de seu pai para viabilizar seu nome, Leonardo também fez duas comemorações antecipadas de seu aniversário, que ocorre amanhã, com perfil de “festa da sucessão”, segundo convidados. Na noite de terça-feira, houve jantar para cerca de 50 pessoas na casa do empresário Antônio Venâncio, o mesmo que foi anfitrião de Cunha quando ele disputou a presidência da Câmara. Ontem, um almoço na casa do deputado Fabio Ramalho (PV-MG) teve a presença do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.

Em almoço mais discreto e menos prestigiado em sua residência oficial ontem, Cunha comentou com deputados da base sua revolta.

— Ele está desencadeando a sucessão neste momento turbulento pelo qual estou passando — disse Cunha, segundo relatos.

A movimentação deixou deputados da base e da oposição ressabiados em relação a Picciani. Eles acreditam ser precoce investir desta maneira na disputa e lembram que Cunha terá poder de influenciar sua sucessão.

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, José Carlos Araújo (PSD-BA), adiou para hoje, ao meio-dia, o anúncio do nome do relator no processo de cassação do mandato de Cunha. Araújo quis finalizar algumas conversas antes de decidir. O favorito é o deputado Fausto Pinato (PRB-SP), que tem boa relação com aliados de Cunha.

Araújo disse ter conversado com os três deputados sorteados — além de Pinato, Vinícius Gurgel (PR-AP) e Zé Geraldo (PT-PA) — e com pessoas próximas a eles para obter informações.

— Tenho que tomar todas as precauções, porque não posso errar. Tenho que me cercar de todo tipo de informação antes de decidir — justificou.

O presidente do Conselho de Ética também procurou o líder do PRB, Celso Russomanno (SP), para sondar se o partido pretendia exercer alguma influência sobre Pinato.

— O partido não vai interferir no processo, quer única e exclusivamente que Pinato seja correto e sério nessa demanda — disse Russomanno.

Veja também: 









Júnia Gama
O Globo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...