sexta-feira, 8 de abril de 2016

Dilma obstruiu a Justiça ao nomear Lula, diz Janot


Imagem: Reprodução / UOL
O parecer do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, afirma que a posse de Lula como ministro da Casa Civil deve ser anulada por ter havido desvio de finalidade no ato. O site O Antagonista chamou a atenção para o fato de que, ao caracterizar o desvio de finalidade, Janot teria dado pistas de que pretende pedir investigação da presidente Dilma. 


Leia abaixo o post do Antagonista: 

Dilma Rousseff está ferrada. No parecer pela anulação da posse de Lula na Casa Civil, Rodrigo Janot deixou pistas de que pedirá investigação contra a petista por crime de responsabilidade e também por obstrução da Justiça. Janot citou iniciativas do Executivo para prejudicar a Lava Jato "em distintas frentes" e a "intenção oculta de causar tumulto processual".
Leia também: 

Além de citar a "inesperada antecipação da posse e a circunstância muito incomum de remessa de um termo de posse não havida" para Lula, Janot citou os grampos de Lula e a colaboração premiada de Delcídio do Amaral, além da denúncia do MP de São Paulo com pedido de prisão. "A evolução do caso Lava Jato e as medidas processuais penais dele decorrentes, requeridas pelo Ministério Público Federal, provocaram forte apreensão no núcleo do Poder Executivo federal e geraram variadas iniciativas com a finalidade de prejudicá-las, em distintas frentes".
"Nesse cenário, a nomeação e a posse do ex-presidente foram mais uma dessas iniciativas, praticadas com a intenção, sem prejuízo de outras potencialmente legítimas, de afetar a competência do juízo de primeiro grau e tumultuar o andamento das investigações criminais no caso Lava Jato." A "nomeação e a posse apressadas" de Lula tiveram, "como efeitos concretos e imediatos", a interrupção das investigações conduzidas pelo Ministério Público Federal no primeiro grau de jurisdição e a remessa das respectivas peças de informação ao Supremo Tribunal Federal e à Procuradoria-Geral da República, por força do foro por prerrogativa."
"Considerando, ainda, que o ex-presidente conta 70 anos de idade, todos esses atrasos podem, hipoteticamente, beneficiá- lo no caso de vir a ser acusado em processo penal, diante da contagem pela metade dos prazos de prescrição. Mesmo considerando que o processo de ministros de Estado ocorre em instância única, na Suprema Corte, a complexidade desse procedimento pode gerar lentidão muito maior do que a do primeiro grau de jurisdição."

 Veja também:






Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...