domingo, 17 de abril de 2016

‘Lula vai ser preso e impeachment vai passar”, afirma Roberto Jefferson


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Numa entrevista ao blog do Ricardo Antunes, o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) não esconde um certo ar de felicidade. Com uma voz serena, mas contundente, ele conversou por mais de meia hora e não se furtou a responder nenhuma pergunta. 

Protagonista do escândalo do “mensalão” – como ficou conhecido o esquema montado pelo PT para a  compra de votos de parlamentares no Congresso Nacional que ocorreu entre 2005 e 2006 – ele não diz mas deixa transparecer que esperou pacientemente por esse momento. 


Pouco mais de 10 anos depois, o atual presidente do PTB diz não ter dúvidas de que o impeachment será aprovado, garante que  o vice Milchel Temer está preparado para assumir o cargo e revel  que o ex-presidente Lula corre mesmo o risco de ser preso. "A situação dele é muito complicada. As delações da OAS e de Marcelo Odebrecht são muito fortes. E tudo isso pode estourar também em Dilma", vaticina. Confira a seguir os principais trechos da entrevista.

Leia também: 

Qual seu palpite sobre  processo de impeachment amanhã, na Câmara dos Deputados? 
O meu palpite, e tenho repassado os cálculos com o líder do PTB, o Deputado Jovair Arantes, é que o processo de impedimento da presidente  passe com 360 votos 

Os maiores jornais do país diziam ontem, que o governo havia feito uma contra-ofensiva e que este placar favorável haveria diminuído. O senhor trabalha com essa possibilidade?
Ontem de tarde e de noitinha, houve um ataque forte do governo, que se percebeu bem no plenário da Câmara e no convívio com os deputados. Houve sim, uma contra-ofensiva, mas também, imediatamente, houve outra contra-ofensiva das oposições e dos movimentos sociais e a coisa voltou a ficar como antes. Os governadores e prefeitos ligados aos deputados pressionaram fortemente, junto com  própria Presidente Dilma , que nunca falou com os deputado. Agora ela foi, pela primeira vez, uma pessoa humilde e ligou para estes mesmos deputados para pedir ajuda. Ela inovou, fez pedidos pessoais de ajuda a cada deputado, se comprometendo a ajudar nas contra-partidas, para quem ficasse ao lado dela, dizendo: “vamos governar juntos”. Ontem ela agiu fortemente.

O senhor acha que estes pedidos surtiram efeito?
​Alguns votos foram perdidos, mas não o suficiente para derrotar o pedido de impeachment. Creio que teremos de 360 a  365 votos a favor.

Como está o vice-presidente Michel Temer às vésperas dessa decisão que  pode levá-lo a Presidência  da República? 
Ele está trabalhando muito, com força, determinação e garra para que possamos saltar essa barreira e vencer os desafios. Não está apenas esperançoso, mas está operando a esperança. Ele está praticando o verbo, fazendo “esperançar”. Está falando com todo mundo ao telefone e incentivando todos para a grande batalha de amanhã.

O senhor foi protagonista do escândalo do mensalão, foi condenado e preso. No Roda Viva, na segunda feira passada, o senhor ressaltou  que não lhe move o desejo de vingança e que lhe comove o fato de José Dirceu estar preso. O senhor disse isso apenas para a platéia?
Não é que eu esteja triste, mas eu não fico feliz, é diferente a colocação. A prisão não é o lugar onde quero ver meu pior inimigo. Eu sei o que é isso, passei por lá e não desejo isto para ninguém. Não me regozijo.

Qual foi a última vez em que esteve com Lula, deputado?
Há muito tempo, há mais de 12 anos. Desde então nunca mais o vi. Nem pretendo.

O senhor disse, recentemente, que finalmente Lula tem um adversário à altura, referindo-se ao Presidente da Câmara, o Deputado Eduardo Cunha…
O Lula joga o jogo sem escrúpulos, mente e dissimula o tempo todo, frauda as informações e tem muito apego ao poder.  O Lula é o típico praticante do socialismo, porque o socialista mente o tempo todo, vendendo uma ideia de vida, sonho, ideal e idílio, que não existem na prática. O socialista nunca quer deixar o poder e vemos isso em Cuba através de Raul e Fidel Castro; e na Venezuela, através de Chavez, e agora, Maduro. Os regimes socialistas e bolivarianistas da América Latina matam o povo de fome, na bala mesmo, na pancada, mas não entregam o poder. Nas recentes eleições da Venezuela, ¾ da sociedade repeliram o socialismo. E no Brasil é a mesma coisa. Quando eu faço a comparação de Lula com Cunha, é porque o segundo também não entrega a rapadura. Eles são dois pistoleiros que fazem conchavos, atiram pelas costas, fazem emboscadas, trapaceiam como num jogo de pôquer, e se o xerife bobear, assaltam o banco da cidade.

Leia também: 

Deputado,  o senhor acredita que o ex-Presidente Lula será preso?
As provas atuais são muito substanciosas. Hoje vi pela manhã, nos jornais e nas revistas, que as delações premiadas do Leo Pinheiro, dono da OAS e de Marcelo Odebrecht, serão bombas muito explosivas para o ex-Presidente. E também parece que isso irá estourar em Dilma. E isso sendo real, acabou, não tem mais como escapar. Seria o primeiro chefe de Estado a ser preso.

Qual foi o grande erro político do PT? Como o senhor analisa o eventual fim do “Lulopetismo” no Brasil?
O PT se apoderou do Estado para financiar um projeto de poder eterno, para 50 anos. Quando todo o Estado foi aparelhado e todas as estatais foram apropriadas pelo partido, o objetivo era esse, financiar sucessivas vitórias para o poder eterno. Aí testemunhamos fraudes, corrupção, superfaturamentos. Só que com 12 anos, esse projeto ‘fez água no casco do navio’: eles não contavam com a coragem impressionante do Juiz Sergio Moro, e com a parceria de procuradores da República e delegados extremamente dedicados e bem preparados. Não foi a oposição que deu o tiro de misericórdia no PT, foi o Poder Judiciário. O PT tanto fez que acabou descoberto e desmoralizado.

Deputado, o senhor avalia uma eventual participação de seu partido no Governo Temer?
Nada foi conversado nesse sentido. Não quero falar sobre uma expectativa que pode não se concretizar.

Há rumores de que  o senhor pode ser candidato à Presidência da República? 
O Dr. Tancredo Neves dizia que Presidência da República é destino, ninguém pode querer construir isso. O destino chega a você, e não vice-versa.

Qual sua mensagem aos leitores do blog às vésperas desse dia histórico? 
Mantenham a crença de que o Brasil vai superar isso sem o derramamento de sangue, sem revolução, pelas vias democráticas e legais, institucionais. O Presidente Temer chegará ao poder como um homem sensato e habilidoso, costurando um consenso nacional para que possamos atravessar essa crise.

Veja também: 

 




Ricardo Antunes e Vanessa Kopersz
Blog do Ricardo Antunes
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...