terça-feira, 12 de abril de 2016

PM retira batalhão da Força Nacional que fazia a segurança do MST


Imagem: Elza Fiúza/Agência Brasil
Um batalhão da Força Nacional de Segurança Pública foi retirado pela Polícia Militar do Distrito Federal após fazer a segurança de manifestantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) sem um pedido formal do governador Rodrigo Rollemberg. Membros e simpatizantes do movimento estão na cidade pra protestarem contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, que deve ser votado pela Câmara no domingo (17). 

Após a retirada da Força Nacional, que é gerida pelo Ministério da Justiça, a PM exigiu que os manifestantes mudassem o local do acampamento. 


No domingo (10), logo que os primeiros ônibus com manifestantes chegaram à Brasília e se instalaram no estacionamento do Teatro Nacional, a Força Nacional iniciou a segurança. Segundo relatos dos próprios manifestantes, o batalhão chegou ao final da tarde, por volta das 18h. 

Por volta das 22h, um batalhão da Polícia Militar chegou e determinou que a Força Nacional deixasse o local. A Força Nacional só pode fazer o trabalho de policiamento com um pedido do governador, o que nunca foi feito. 

O coronel da PM Alexandre Sérgio, responsável pela segurança das manifestações, confirmou a informação à Folha. Sérgio disse que não houve discussão. 

De acordo com o Ministério da Justiça, responsável pela Força Nacional, houve um desentendimento sobre o suposto pedido não feito por Rollemberg. 

O ministério afirma que o batalhão estava saindo de um treinamento no Gama, uma cidade satélite de Brasília, e parou no Teatro Municipal imaginando que um pedido havia sido feito, o que não ocorreu. 

"A SSP-DF (Secretaria de Segurança Pública) anunciou que solicitaria a Força Nacional para dar apoio às ações da segurança pública local nesse período. O ministro da Justiça ainda não recebeu do governador o pedido da Força Nacional, que segue à disposição." 

Depois de esclarecida a situação, o batalhão seguiu para o Palácio da Justiça, que era o destino inicial. 

A assessoria do ministério afirma que a permanência da Força Nacional durou menos de uma hora. 

"Desconhecemos suposto desentendimento entre a Polícia Militar e Força Nacional, cuja equipe que esteve no local foi num intervalo entre as 20h e 21h", diz o ministério, em nota. 

O governo do Distrito Federal confirmou que não fez o pedido para a Força Nacional, mas preferiu não se posicionar sobre o caso. 


MUDANÇA DE ACAMPAMENTO 

Os manifestantes do MST que chegaram no domingo não tinham a permissão para acamparem no estacionamento do Teatro Municipal. 

Um acordo firmado entre lideranças de movimentos pró-impeachment e de apoio ao governo definiram que os acampamentos seriam mais distantes do Congresso Nacional. 

Os governistas ficariam no estacionamento do ginásio Nilson Nelson e os antigoverno ficariam no Parque da Cidade. Ambos os grupos já estão instalados nos locais. 

A Folha apurou que a PM queria retirar os campistas já na noite domingo, quando a Força Nacional deixou o local. 

No entanto, os líderes do MST e da CUT (Central Única dos Trabalhadores) conseguiram manter os manifestantes acampados no local até o dia seguinte. 

Na segunda-feira (11), o acampamento foi deslocado para o ginásio, cerca de 4 km distante do Congresso.

Veja também: 











Machado da Costa
Folha de S. Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...