sábado, 25 de junho de 2016

Foragido da operação Recomeço pagava jatinho para Lewandowski e Toffoli


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
A Operação Recomeço da Polícia Federal foi desencadeada para investigar desvio de cerca de R$ 90 milhões dos fundos de pensão Petros, dos funcionários da Petrobrás, e Postalis, dos Correios em uma fase da investigação concentrada em investimentos feitos por dois fundos na empresa Galileo Educacional, que teve falência decretada pela Justiça do Rio de Janeiro em maio passado. 


Leia também: 

Na manhã desta sexta-feira, 24, Polícia Federal saiu para cumprir sete mandados de prisão temporária e 12 mandados de busca e apreensão. Um dos foragidos da justiça é o primeiro presidente do Galileo, Márcio André Costa. O executivo contratou Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli para darem aula na Universidade Gama Filho. Os dois ministros apontados como "simpáticos ao PT" faziam a ponte-aérea Brasília-Rio em jatinho executivo pago pela Galileo. Tudo pago com dinheiro dos aposentados da Postalis e da Petros.

Em 2012, a coluna Radar denunciou a dívida acumulada com os voos.
Imagem: Reprodução / O Antagonista

O grupo Galileo simplesmente desapareceu com os R$ 90 milhões destinados à recuperação da Gama Filho. Os investigadores suspeitam que o esquema de desvios pode ser ainda maior. Segundo o delegado que cuida do caso, "O primeiro passo foi dado e o segundo passo será identificar os beneficiários e ressarcir os investidores dos fundos de pensão".

Veja também: 

 
 


 


Manchette
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...