segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Advogado de Lula se enrola ao ser questionado por jornalista e não consegue explicar sítio em Atibaia; veja vídeo


Imagem: Reprodução
O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, participou nesta quinta-feira, 18, do programa Diálogos, com Mário Sérgio Conti, da Globo News, onde encontrou bastante dificuldade para explicar as controvérsias jurídicas envolvendo seu cliente.


Veja o vídeo: 


Mesmo sendo um simpatizante dos regimes de esquerda de Lula e Dilma, o jornalista se viu forçado a fazer perguntas elementares ao advogado que atua na defesa do ex-presidente.

Leia também: 
Dilma vira alvo de piadas ao dizer que brasileiros estão praticando 'bullying' contra ela; veja
Collor gasta quase R$ 480 mil de cota parlamentar com segurança privada em 18 meses
Janot suspende delação de Léo Pinheiro e outros executivos da OAS

Ao indagar sobre o fato das reformas no sítio para beneficiar o ex-presidente Lula e sua família terem sido pagas por empreiteiras que participaram do esquema criminoso do PT na Petrobras, como a OAS e a Odebrecht, o advogado de Lula engasgou.

Segundo Cristiano Zanin Martins, as obras milionárias, incluindo uma cozinha gourmet exigida por Marisa Letícia, a esposa de Lula, uma adega e espaço para armazenar os objetos que o ex-presidente retirou dos Palácios do Planalto e da Alvorada, foram feitas em benefício de Jonas Suassuna e Fernando Bittar, donos do sítio no papel.

O argumento usado pelo advogado de Lula contraria o depoimento do próprio Fernando Bittar, que afirmou à Polícia Federal que “parte das obras” no Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP) foram realizadas “em razão da necessidade de recepção do acervo presidencial do então presidente da República”.

Como bom simpatizante da esquerda, o jornalista Conti ainda deu um jeitinho de se referir aos objetos levados por Lula como "tralhas", como espadas de ouro cravejadas de pedras preciosas, obras de arte e talheres de ouro.

Segundo técnicos do Tribunal de Contas da União, os presentes dados por Lula aos chefes de estado no Brasil ou durante suas viagens ao exterior foram pago pelo contribuinte. Logo, os presentes que recebeu em troca também pertencem ao patrimônio Público. Por esta lógica, Lula roubou 11 contêineres de "tralhas" do povo.

Veja também: 






Jornalivre
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...