quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Cidades baixam salários dos vereadores e maioria desiste de disputar reeleição


Imagem: Marco Martins/Arquivo Gazeta do Povo
A partir de 2017, os vereadores de três cidades do Paraná passarão a receber subsídio equivalente a um salário mínimo. O efeito mais evidente desta redução foi a queda no número de parlamentares dispostos a tentar a reeleição. Menos da metade dos atuais vereadores de Mauá da Serra, Santo Antônio da Platina e São Mateus do Sul disputam na eleição deste ano uma cadeira no legislativo municipal. Em 2012, essa taxa foi de 63%.


O maior índice de desistências da reeleição foi registrado em Santo Antônio da Platina, município do Norte paranaense que foi o primeiro a diminuir os subsídios dos parlamentares por conta da pressão popular. Dos nove vereadores da atual legislatura, apenas dois tentarão a recondução ao cargo. Dos desistentes, quatro disputarão a eleição majoritária – nos cargos de prefeito ou vice – e três vão interromper a carreira política.

Leia também: 

O vereador Fábio Galhardi (PMDB), que não será candidato em 2016, afirma que a decisão de não disputar a reeleição não está relacionada à redução dos salários. “Não tomei a decisão por causa da redução. Meu partido coligou aqui e o cenário ficou difícil para minha eleição. Se eu me candidatasse, sairia para uma campanha muito atrás de outros candidatos”, afirmou.

Na cidade onde o salário dos parlamentares caiu de R$ 3,4 mil para R$ 970, o número geral de candidatos a uma vaga na Câmara Municipal também caiu. Em 2012 foram 106 candidaturas registradas pelo Tribunal Superior Eleitoral e em 2016 foram 98 registros.



Mauá da Serra

Em Mauá da Serra, também no Norte do Paraná, cinco dos atuais nove vereadores disputarão a reeleição. Na cidade, os parlamentares alegam motivos pessoais para não disputarem o pleito eleitoral.

“Eu parei porque tenho que dar um tempo na política, já tinha decidido isso muito antes da redução dos salários. Ou eu saia prefeito, ou parava com a política”, disse o vereador Nicodemos Ferreira dos Santos (PDT). Outros vereadores do município alegam problemas familiares ou apoio a outros candidatos para não disputarem a reeleição.

Mauá da Serra foi o único dos três municípios que registrou crescimento no número geral de candidatos a uma cadeira na Câmara Municipal. Em 2012 foram 81 registros e, neste ano, 88. Na cidade, o subsídio dos parlamentares foi de R$4,1 mil para R$ 820.

São Mateus do Sul

Já em São Mateus do Sul, no Sudeste do estado, o número de candidatos à reeleição não caiu. Entretanto, a queda do número geral de candidatos ao cargo de vereador foi de 17%, a maior entre as três cidades onde houve redução dos subsídios. Enquanto os vereadores da atual legislatura recebem R$ 6,2 mil, os candidatos eleitos que assumirem em 2017 vão receber um valor de pouco mais de R$ 800.

Veja também: 

 


 
 

João Guilherme Frey
Gazeta do Povo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...