quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Inclusão de Marisa Letícia em denúncia do Ministério Público irrita Lula


Imagem: Gabriela Biló / Estadão
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu as primeiras notícias sobre a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal nesta quarta-feira, 14, durante o almoço em um hotel na zona sul de São Paulo. Segundo pessoas que compartilharam a mesa, Lula ficou indignado com a inclusão da ex-primeira-dama Marisa Letícia na acusação, mas reagiu com naturalidade em relação ao seu próprio nome. Para aliados, a denúncia faz parte de uma perseguição cujo objetivo é impedir Lula de disputar a eleição de 2018.

"Eles (adversários do PT) foram derrotados quatro vezes (em eleições presidenciais). Como não querem sofrer uma nova derrota tentam barrar a candidatura do ex-presidente Lula", disse o presidente nacional do PT, Rui Falcão. 

Leia também: 

O ex-presidente participou de uma reunião do Conselho da Presidência do PT, formado por dirigentes, parlamentares e governadores petistas além de intelectuais sem vínculo formal com o partido. Ao final da reunião, quando se preparava para almoçar, um assessor mostrou, na tela do celular, as primeiras notícias sobre a denúncia do MPF referente ao apartamento tríplex no Guarujá.

Nas redes sociais, Lula se comparou ao ex-presidente Juscelino Kubitschek. "Curiosidade histórica: JK foi acusado de ser dono de imóvel em nome de amigo."

Antes mesmo de a denúncia ser noticiada, a ofensiva da Lava Jato em direção ao ex-presidente foi tema de algumas das falas dos participantes da reunião."Venho dizendo desde o começo. Seria o cúmulo da ingenuidade supor que iriam fazer este carnaval que fizeram para depois deixar o Lula ganhar a eleição em 2018", disse o escritor Fernando Morais, integrante do conselho.

Para a maioria dos participantes da reunião, a denúncia já era esperada. "Lula está tranquilo e triste como todos nós. Não é surpresa nenhuma. O objetivo do golpe não é só tirar a Dilma, é também o Lula", disse o escritor Eric Nepomuceno. 

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), defendeu a inocência do ex-presidente. "Não é a primeira vez que tem ações da Justiça contra o ex-presidente. Lula deve ser o brasileiro mais investigado da história", afirmou.

O PT e o Instituto Lula aguardavam o fim da entrevista dos procuradores da Lava Jato para se posicionarem oficialmente.

Veja também: 

 


 
 

Ricardo Galhardo e Álvaro Campos
O Estado de S.Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...