quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Depois de baterem boca com Jô Soares, escritores defensores de Black Blocs são humilhados por Márvio Lúcio; veja vídeo


Imagem: Montagem / Folha Política
Os pesquisadores Esther Solano e William Novaes estiveram no programa Pânico da Rádio para divulgar o livro “Mascarados: A Verdadeira História Dos Adeptos da Tática Black Bloc”. O tempo fechou por conta da defesa que os dois acadêmicos de extrema-esquerda fazem das ações violentas dos black blocs.


Veja o vídeo: 


Leia também: 
'A corrupção em Santo André foi o piloto do Mensalão', diz autor de livro sobre Celso Daniel após revelações bombásticas; veja
Ex-diretor da Interpol sugere transformar Lava Jato em divisão fixa da PF
O clima já estava tenso quando a conversa passou para as ocupações de escolas. William Novaes chamou o humorista Márvio Lúcio (o Carioca) de otário, insinuando que ele fosse “fã de Bolsonaro”. Carioca retrucou e o militante passou para os palavrões, seguido das ironias de Esther Solano. Carioca então defenestrou os autores, expondo a defesa que faziam da ideologia radical da extrema-esquerda por meio do livro. “Isso para mim, é lixo”.

Em outro momento, William Novaes perguntou para Carioca:

“Você sabia que uma jornalista perdeu um olho?”, se referindo a ação da polícia militar

Carioca respondeu: “Você sabia que um black bloc matou um câmera da Band?”

Esse é o segundo barraco protagonizado pela dupla. A defesa do radicalismo e justificativa da barbárie conseguiram tirar do sério até o apresentador Jô Soares, que é notório esquerdista e simpatizante da ex-presidente Dilma Rousseff. Contrariado com a tese de que havia justificativa para os crimes dos black blocs, Jô partiu para o ataque. Só não houve palavrões, como aconteceu no programa Pânico.


Veja também:




 
 


Jornalivre
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...