quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Depois de derrocada nas eleições municipais, PT quer lançar figurões do partido à Câmara em 2018


Imagem: Givaldo Barbosa / Agência O Globo
Depois da derrocada nas eleições municipais e temendo os efeitos de sua crise de imagem sobre a disputa de 2018, o PT já fala em lançar figurões do partido à Câmara. Quer, com isso, eleger uma bancada mínima que garanta influência política e repasses mais gordos do fundo partidário. Em outra ponta, petistas começam a defender que se abandone uma bandeira histórica do partido na reforma política, o voto em lista fechada, por puro medo de o eleitor se recusar a votar no 13.


Leia também: 

Nomes como os dos ex-ministros José Eduardo Cardozo, Jaques Wagner, Alexandre Padilha e Ricardo Berzoini devem ser lançados candidatos em 2018 com o propósito de fortalecer a sigla.

Luiz Marinho, que deixa a Prefeitura de São Bernardo do Campo sem eleger o sucessor, também é citado como opção do PT ao Congresso Nacional.

Até setembro, a sigla recebeu R$ 73,5 milhões do fundo partidário — um dos três maiores repasses. O volume cairá exponencialmente se não eleger número expressivo de deputados federais.

A previsão mais pessimista de dirigentes do PT, PC do B e PSOL é que a bancada federal desses partidos caia de 83 eleitos em 2014 para 40 parlamentares na Câmara daqui a dois anos.

Veja também:




 
 

Painel 
Folha de S. Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...