quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Manifestação na Câmara fez imprensa brasileira lembrar do verbo 'invadir', diz colunista


Imagem: Reprodução / TV Câmara
Um grupo de manifestantes invadiu o plenário da Câmara hoje, pedindo uma intervenção militar. O grupo conseguiu entrar no Plenário e se manteve lá quase a tarde toda, e ainda está sendo retirado. O editor do site Implicante notou a ironia da cobertura feita pela imprensa, que utilizou o verbo "invadir" pela primeira vez em um bom tempo. As invasões de escolas, que causaram prejuízos incalculáveis a centenas de milhares de estudantes, são tratadas como "ocupações" e descritas como manifestações legítimas. Com a entrada na Câmara, no entanto, o verbo "invadir" ressurgiu. 

Leia abaixo o texto do Implicante: 

Há esperanças para o jornalismo brasileiro? Talvez. Após muito tempo ignorando a existência do verbo “invadir”, a imprensa nacional vive uma tarde histórica nesse 16 de novembro de 2016. E toda ela noticia que um grupo de manifestantes invadiu a Câmara Federal exigindo intervenção militar – claro, falam isso ignorando que os baderneiros interromperam a sessão numa semana em que Brasília resolveu partir para cima da Lava Jato como nunca.
Mas o mais importante é que dessa vez os jornalistas não usaram o eufemismo “ocuparam”, a forma mais cínica explorada pelo noticiário brasileiro para apoiar as invasões das escolas brasileiras por militantes de esquerda. Inclusive, aparentemente o segredo é este mesmo: basta não estar ligado à esquerda para o vandalismo ser tratado pelo termo que ele merece.
O Implicante torce para que continue assim. Mas sabe que as chances são remotas.



Leia também:
Senador faz apelo após sabotagem a projeto pelo fim do foro privilegiado: 'Se tiver pressão do povo, passa. Se não tiver, não passa'; veja


Veja também: 











Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...