quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Suíça apreende fortuna do filho de ditador que participou do carnaval do Rio


Imagem: Laurent Gillieron /  EFE
Numa das cidades com o maior poder aquisitivo do mundo, a cena não é rara: carros de luxo em plena avenida principal de Genebra num dia qualquer. Mas dessa vez, os carros estavam sobre um caminhão após serem confiscados pela Justiça. No total, o Ministério Público de Genebra apreendeu 11 carros pertencentes ao vice-presidente da Guiné Equatorial, Teodorin Obiang, filho do ditador local. 

O confisco ocorreu na segunda-feira, revelando mais um escândalo com o país africano de 720 mil habitantes e com um dos piores índices mundiais de desenvolvimento social. Sua elite, que chegou a pagar por um samba enredo no carnaval do Rio de Janeiro, não passa fome.

Leia também: 

Entre os carros confiscados estava um Porsche 918 Spyder, avaliado em mais de € 750 mil. Por € 2 milhões, um Bugatti Veyron também estava na lista, além de um dos sete exemplares de um Koenigsegg One.

O vice-presidente africano tentou embarcar os carros de luxo depois que o MP local iniciou um processo contra ele por suspeita de corrupção. Temendo o confisco, seu objetivo era despachar sua fortuna em um avião de carga alugado às pressas. No entanto, foi impedido pela polícia.

Há cinco anos, Teodorin já havia sido alvo de um confisco de outros 18 carros de luxo que ele mantinha em Paris. Na França, ele responde a um processo por “corrupção e desvio de dinheiro público” e procuradores estimam que o crime chegaria a € 200 milhões, apenas na França. Nos EUA, a Justiça também lacrou sua mansão em Malibu. Na garagem, havia maiis 28 carros. 

A família então optou por intensificar sua relação com a Suíça. Segundo a revista local L’Hebdo, o avião privado de seu pai pousou 11 vezes em Genebra entre janeiro de 2015 e março deste ano. No total, o avião do filho permaneceu na cidade suíça por 69 dias em apenas um ano. 

Os bancos suíços também continuavam a lhe oferecer crédito e pagar suas contas. Mas, desde o mês passado, suas contas em Genebra foram bloqueadas. 

No ano passado, a escola de samba Beija-Flor homenageou a Guiné Equatorial em seu samba enredo. Meios de comunicação como a BBC, The Wall Street Journal e outros europeus indicaram como a escola de samba teria sido financiada pelo ditador Teodoro Obiang, algo negado pela direção da Beija-Flor e pelo embaixador da Guiné.

Veja também: 







 
 

Jamil Chade
O Estado de S. Paulo
Editado por Folha Política

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...