segunda-feira, 20 de março de 2017

'E se acabássemos com o fundo partidário e usássemos os recursos em saúde e educação?', propõe economista


Imagem: Montagem / Folha Política
Entre as propostas da 'reforma política' que tenta salvar as peles de políticos encrencados na Lava Jato, há uma para aumentar os recursos públicos para os partidos. O economista Ricardo Amorim fez uma proposta alternativa: "E se acabássemos com o fundo partidário e usássemos os recursos em saúde e educação?".


Quase 70 milhões de votos foram obtidos em campanhas 'anabolizadas'

A pré-lista vazada das delações que foram entregues pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, mostra que, dentre candidatos a governos estaduais, ao Senado e à Câmara, eleitos ou não, o país está diante de quase 70 milhões de votos obtidos em campanhas “anabolizadas” pela propina da Odebrecht. Até o momento, apareceram nas delações da Odebrecht seis candidatos a governador — o número pode chegar ao dobro disso —, 11 senadores e 7 deputados federais. Todos eles são citados nos depoimentos dados por ex-executivos das empreiteiras como beneficiários de doações oriundas de propina, seja por meio do caixa 2 ou em doações legais declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Leia também: 
'Nada é tão ruim que não possa piorar', diz senador Reguffe sobre voto em lista fechada
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...