quinta-feira, 23 de março de 2017

PF deflagra Operação Buiu contra aliado de Renan em Alagoas


Imagem: Alagoasweb
Nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (23), a Polícia Federal em Alagoas bateu à porta de acusados de envolvimento em um grupo criminoso responsável por um desvio de pelo menos meio milhão de reais da Câmara Municipal de São Miguel dos Campos. A Operação Buiu teve apoio do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (GECOC) do Ministério Público do Estado de Alagoas (MP/AL).


Leia também: 

A investigação iniciada há três meses motivou o cumprimento de 13 mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais, além de 11 mandados de condução coercitiva em São Miguel dos Campos e União dos Palmares. O superintendente da PF em Alagoas, Bernardo Gonçalves Torres o delegado federal Fábio Maia confirmaram que o principal alvo da Operação Buiu é o ex-presidente da Câmara de São Miguel dos Campos, Josivaldo de Oliveira Vieira, o Jó Clemente (PDT).

Os dados levantados pela Delegacia de Combate à Corrupção da Superintendência Regional da PF em Alagoas, que identificaram que Jó Clemente teria agido juntamente com sua esposa, Esther Cavalcante Torres Vieira, para utilizar funcionários fantasmas, para desviar verbas da folha de pagamento da Câmara Municipal de São Miguel dos Campos. E o prejuízo foi de mais de R$ 500 mil aos cofres públicos, de 2014 a 2016.

Jó Clemente disputou em 2016 a sucessão do irmão, o ex-prefeito George Clemente. E mesmo com o apoio do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), do governador Renan Filho (PMDB) e do ministro do Turismo Marx Beltrão, foi derrotado pelo atual prefeito Pedoca Jatobá (DEM), com diferença de mais de cinco pontos percentuais em votos válidos.

GENTE HUMILDE COMO LARANJA

Segundo os delegados federais, trabalhadores contratados pela Câmara eram obrigados a repassar ao ex-vereador salários de até R$ 6 mil que recebiam. Um dos funcionários fantasmas recebia auxílio do Bolsa Família e um servidor da Câmara operava o esquema, ficando com os cartões de todos os demais para sacar o dinheiro e depositar em dinheiro na conta do casal.

“Observamos entre os alvos pessoas que são beneficiárias do programa Bolsa Família e que moram numa condição muito humilde. A Polícia Federal está investigando se essas pessoas foram enganadas ou se eram beneficiadas de alguma forma”, explicaram os delegados.

Em União dos Palmares, um funcionário da distribuidora de bebidas da Ambev, Cledisbel, foi alvo de condução coercitiva. O Diário do Poder apurou que o funcionário não se encontrava na empresa que pertence a um irmão do ex-vereador miguelense, José Clemente. O alvo de condução coercitiva estava em uma entrega e a Polícia Federal foi ao seu encontro.

As pessoas utilizadas seriam funcionários daquela Câmara e ou ligadas a empresas de familiares do casal investigado. Os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital para serem cumpridos em endereços residenciais e em endereços comerciais. Os investigados, por conseguinte, responderão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro.

Veja também: 

 



Diário do Poder
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...