sábado, 22 de abril de 2017

Advogado de Lula deve deixar sua defesa por 'dilema ético'


Imagem: Zanone Fraissat / Folhapress
O advogado José Roberto Batochio deve deixar a defesa do ex-presidente Lula. E também a do ex-ministro Antonio Palocci. Ele advoga para os dois petistas na Operação Lava Jato.

De acordo com pessoas do círculo íntimo de Batochio, ele enfrenta um dilema ético diante da conduta adotada em décadas de advocacia: por um lado, sempre disse execrar o instituto da delação premiada. Como Palocci já negocia a colaboração com o Ministério Público Federal, ele não teria como permanecer no caso.



Permanecer na defesa de Lula traria um outro problema. Como é provável que Palocci, para efetivar a delação, mire seu canhão no peito do ex-presidente, Batochio seria obrigado a confrontá-lo, classificando todas as eventuais declarações do ex-ministro como mentirosas. O problema é que ele advogou para Palocci por dez anos, absolvendo-o em uma dezena de processos. E não teria como, agora, voltar-se contra ele nos tribunais.

Se Batochio deixar mesmo a defesa de Lula, será a segunda baixa na equipe de advogados do ex-presidente. Em março, o criminalista Juarez Cirino dos Santos deixou o caso.

Batochio também advoga para Guido Mantega. Na Lava Jato, no entanto, o ex-ministro da Fazenda passará a ser representado por outro criminalista.

No atual estágio das investigações, portanto, cada petista seguirá caminhos diferentes e possivelmente divergentes de defesa.

Leia também: 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...