segunda-feira, 3 de abril de 2017

Blogueiro é ouvido na PF em inquérito que investiga ameaças a Sérgio Moro


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O blogueiro Eduardo Guimarães prestou depoimento na Polícia Federal (PF) em São Paulo nesta segunda-feira (3) por supostas ameaças ao juiz Sérgio Moro. Acompanhado do advogado, ele falou durante cerca de duas horas e negou a acusação.

Guimarães é autor do Blog da Cidadania, em que faz críticas às gestões de Geraldo Alckmin (PSDB) no governo do estado de São Paulo, à de Michel Temer (PMDB) na Presidência da República e também à operação Lava Jato, que investiga desvios de recursos públicos na Petrobras.

Leia também: 

No mês passado, Guimarães foi levado coercitivamente até a sede da PF, na Lapa, Zona Oeste da capital, para depor no processo que apura o fato de ele ter revelado a investigados informações sobre a operação da PF que incluiu a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Lava Jato, no ano passado.

Segundo a defesa do jornalista, o depoimento desta segunda se concentrou em tuítes feitos por Guimarães em junho de 2015. “Cada brasileiro que se entusiasma ao ver a derrocada petista não sabe que essa politicagem vai lhe custar caro”, afirmou no primeiro tuíte. Em seguida, postou: “Os delírios de um psicopata investido de um poder discricionário como Sergio Moro vão custar seu emprego, sua vida”.

Por causa das postagens, Guimarães foi indiciado por injúria e ameaça contra Moro. “Se a gente lê a mensagem, fica muito claro. O Twitter tem uma certa limitação de caracteres. Então, às vezes, você tem um texto mais longo e tem que fracionar”, disse o advogado Fernando Hideo Lacerda.

“É muito óbvio que ele está falando com o leitor. ‘Cada brasileiro que se entusiasma com isso sabe que essa politicagem vai lhe custar caro’. O que que é custar caro? Vai custar o seu emprego, vai custar a sua vida. É um texto muito claro”, disse o advogado. “Acontece que, se você pinça uma mensagem e descontextualiza um tuíte da sequência, pode soar, eventualmente, como um teor agressivo, ameaçador. Mas, se você lê a sequência, é muito óbvio.”

Guimarães comparou os tuítes com outra frase. “É como se eu dissesse: ‘Eu vou matar você de tanto rir’. Aí você corta o ‘de rir’, entendeu? É muito triste isso, é muito triste. Eu acho vergonhoso”, disse o blogueiro.

Veja também: 


 



Paula Araújo
GloboNews
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...