sábado, 1 de abril de 2017

Fiscal ‘enxugou’ dívida do homem da JBS de R$ 1 milhão para R$ 200 mil


Imagem: Reprodução / Estadão
Relatório da Polícia Federal aponta que o fiscal Daniel Gonçalves Filho, superintendente regional do Ministério da Agricultura no Paraná, em dois períodos entre 2007 e 2016 conseguiu reduzir uma dívida do veterinário Flávio Ever Cassou, apontado pela Operação Carne Fraca como ‘executivo da JBS’.

Gonçalves Filho e Cassou foram alvos de mandado de prisão preventiva da Carne Fraca.

De acordo com os investigadores, Daniel Gonçalves Filho era ‘o líder da organização criminosa que contamina a Superintendência Federal de Agricultura do Paraná, comandando e reverenciando a atuação corrupta dos também ficais e/ou subordinados’.

Leia também: 

“Sua influência, conquistada nesses anos à frente da Superintendência Federal da Agricultura no Paraná é notória. Daniel Gonçalves Filho mantém contato com parlamentares e seus assessores e também com diversos empresários. Situação específica demonstra este poder quando conseguiu a diminuição de uma dívida de Flávio Evers Cassou de R$ 1 milhão para R$ 200 mil, por sua influência junto ao gerente do Banco do Brasil”, destaca o delegado Mauricio Moscardi Grillo, que subscreve relatório da PF.

Carne Fraca mira corrupção na Superintendência Federal de Agricultura no Estado do Paraná (SFA/PR) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. No rol de empresas investigadas pela Polícia Federal estão a JBS, dona da Seara e da Big Frango, a BRF, controladora da Sadia e da Perdigão, e os frigoríficos Larissa, Peccin e Souza Ramos.

Antes de ser preso, Flávio Cassou foi seguido, filmado, fotografado e grampeado pela PF. A relação muito próxima do funcionário da JBS com a chefe do Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal, no Paraná, Maria do Rocio Nascimento, é destaque da investigação. A PF chegou a filmar Cassou entrando na casa de Maria Rocio ‘com uma maleta, depois saindo e voltando com um isopor’.

“Já há vários indícios de que Flávio Evers Cassou, atualmente funcionário da empresa Seara Alimentos LTDA., situada no município de Lapa/PR, seja membro da organização criminosa liderada por Daniel Gonçalves e Maria do Rocio”, destaca a PF.

“Os indícios apontam que Flávio entrega dinheiro e mercadorias à Maria do Rocio visando a proteger a empresa que trabalha, havendo prova concreta de que Flavio depositou valores nas contas de Maria do Rocio, de suas irmãs e empresa.”

COM A PALAVRA, O ADVOGADO ALESSANDRO SILVERIO, QUE DEFENDE FLÁVIO CASSOU

A defesa tratará das imputações nos autos do processo.

Veja também: 


 



Julia Affonso, Ricardo Brandt e Luiz Vassallo 
O Estado de S. Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...