sábado, 6 de maio de 2017

Advogados de Léo Pinheiro pedem a Moro que Lula não grave depoimento


Imagem: Reprodução / Youtube
Os advogados de Léo Pinheiro, sócio da OAS, querem que o juiz Sergio Moro não permita que a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva grave a audiência do próximo dia 10, em Curitiba.



Tanto Lula como Léo Pinheiro são réus em ação criminal que tramita na Lava Jato sobre o tríplex no Guarujá (SP). O empresário, que negocia delação premiada, depôs a Moro no último dia 20.

Em petição protocolada na noite desta sexta (5), os advogados José Luis Oliveira Lima e Rodrigo Dall'Acqua afirmam que "não concordam com a realização da gravação não oficial do interrogatório do corréu".

Leia também: 

"Nunca é demais reforçar que o princípio na publicidade não autoriza a livre gravação da imagem das partes relacionadas ao processo, de seus representantes legais e de quaisquer outras pessoas que estejam presentes durante a realização dos atos processuais em audiência", justificaram.

Segundo eles, caso a defesa de Lula filme toda a sala de audiência no dia do depoimento, "certamente causará a exposição desnecessária da imagem de todos os presentes no ato, para muito além dos limites do processo e ainda gerando transtornos indesejados tanto à realização da audiência, quanto ao andamento do processo em si".

O pedido de Lula também foi rebatido pelo Ministério Público Federal, conforme informou a colunista Mônica Bergamo, da Folha.

Os advogados do ex-presidente pediram para fazer o seu próprio registro do depoimento porque consideram que a câmera centrada na pessoa que depõe propaga "uma imagem distorcida dos sucessos verificados na audiência, impedindo que sejam avaliadas a postura do juiz, do órgão acusador, dos advogados e de outros agentes envolvidos no ato".

Foi solicitado a Moro que o fotógrafo do Instituto Lula, Ricardo Stuckert, fizesse as gravações.

No entanto, a defesa de Pinheiro considera que a gravação oficial focada na pessoa que presta depoimento "não é indicativo de prejuízo ao réu", "assegura a precisão do registro" e "visa garantir a maior fidelidade possível da prova".

"O mesmo procedimento, ressalte-se, é adotado para depoimentos prestados por testemunhas e ofendidos, não havendo qualquer diferenciação quando se trata de depoimento prestado por acusados", dizem Lima e Dall'Acqua na petição.

O juiz Sergio Moro ainda não respondeu aos pedidos.

PROCESSO

Lula será ouvido no processo em que é réu sob acusação de ter recebido vantagens indevidas da empreiteira OAS, entre elas um tríplex em Guarujá, no litoral de São Paulo.

Em depoimento, Léo Pinheiro disse a Moro que o apartamento é de Lula.

A defesa do ex-presidente nega que o tríplex seja dele e afirma que a fala de Pinheiro é uma "versão negociada para agradar" procuradores e destravar seu acordo de delação premiada. 

Veja também: 






José Marques
Folha de S. Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...