quarta-feira, 5 de julho de 2017

Apoiadores de Maduro invadem Parlamento venezuelano e atacam deputados


Imagem: Juan Barreto / AFP
Um grupo de apoiadores do presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, entrou nesta quarta-feira (5) na sede do Parlamento, que é controlado pela oposição. Deputados e jornalistas ficaram feridos na ação, de acordo com a Reuters.


Imagem: Reprodução / Twitter
Os deputados realizavam uma sessão especial por conta do dia da independência quando dezenas de pessoas, algumas encapuzadas e armadas com pedaços de madeira, invadiram o Palácio Legislativo pelos jardins, detonando fogos de artifício. Houve pânico no local, de acordo com a agência France Presse.

A cerimônia, que não estava prevista na agenda do Legislativo, foi liderada pelo vice-presidente Tareck El Aissami, que chegou acompanhado do ministro da Defesa e chefe da Força Armada, Vladimir Padrino López, assim como de membros do gabinete e de partidários chavistas.

Imagem: Reprodução / Twitter
Leia também: 

Imagem: Reprodução / Twitter
El Aissami fez um discurso de cerca de 15 minutos, no qual acusou a oposição de "sequestrar" o Poder Legislativo. Os adversários de Maduro dominam a Casa, com folga, desde sua esmagadora vitória nas urnas em dezembro de 2015.

"Estamos precisamente nas instalações de um poder do Estado que foi sequestrado pela mesma oligarquia que traiu Bolívar e sua causa", disse o vice-presidente, deflagrando aplausos dos convidados.

Feridos

Imagem: Reprodução / Twitter
O deputado Américo de Grazzia foi retirado ferido da Assembleia Nacional, segundo a NTN24. O parlamentar Armando Armas também ficou ferido no incidente. "Por mais que nos agridam, não vamos abandonar essa luta", afirmou Armas em sua conta no Twitter.

Imagem: Reprodução / Twitter
A crise política venezuelana se encontra em uma fase de alta tensão por protestos da oposição que deixaram 91 mortos em três meses e pela convocação de uma Assembleia Constituinte, por parte do presidente Nicolás Maduro.

Crise na Venezuela

A crise política venezuelana se encontra em uma fase de alta tensão por protestos da oposição que deixaram 91 mortos em três meses e pela convocação de uma Assembleia Constituinte, por parte do presidente Nicolás Maduro.

O vice El Aissami advertiu que Maduro não se renderá, nem cederá em seu propósito de levar a Constituinte adiante, segundo a France Presse.

"Aqui está um presidente digno que nunca se renderá, nem permitirá que a Venezuela seja colônia de qualquer potência estrangeira", declarou.

Veja também: 

 


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...