quinta-feira, 13 de julho de 2017

Condenação de Lula é sinal de que Justiça está funcionando, diz Transparência Internacional


Imagem: ABr
O presidente da Transparência Internacional, José Ugaz, afirmou, nesta quarta-feira, 12, que a condenação do ex-presidente Lula a 9 anos e 6 meses de prisão proferida pelo juiz federal Sérgio Moro é ‘é um sinal significativo de que o estado de direito está funcionando no Brasil e que não há impunidade, mesmo para os poderosos’. A entidade diz ver ‘ataques de todos os lados’ às investigações e exige ‘garantias’ de que a Lava Jato siga em frente sem ‘interferências de partidos políticos’.


O petista foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro de R$ 2,25 milhões em razão de supostamente ter aceitado para o tríplex no Guarujá e suas respectivas reformas como forma de propinas da OAS oriundas de desvios na Petrobrás.

“A condenação do ex-presidente Lula é um sinal significativo de que o estado de direito está funcionando no Brasil e que não há impunidade, mesmo para os poderosos”, afirmou Ugaz.

Leia também: 
'Só temos plano A', diz Okamotto sobre candidatura de Lula em 2018
Wagner Moura perde o controle após Alexandre Frota ligar para falar sobre condenação de Lula; veja vídeo
Moro diz que não divulgou centenas de diálogos de Lula
Após condenação de Lula por triplex, PT já teme nova sentença por Atibaia
Depois de defender Temer, Maluf defende Lula: 'um exemplo de pessoa para todos os brasileiros’
Jean Wyllys surta e diz que sentença de Moro faz troça dos nove dedos de Lula

Desembargador manda Geddel para prisão domiciliar

O presidente da Transparência Internacional ainda disse que ‘Lula não é o único político de alto nível que é foco das investigações de corrupção. O atual presidente, Michel Temer (PMDB), que é do extremo oposto do espectro político, também está enfrentando acusações de corrupção, assim como o senador Aécio Neves (PSDB), que concorreu contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) nas últimas eleições’. Ugaz afirma que os parlamentares brasileiros e o STF, responsáveis por julgar os dois casos, devem agir com imparcialidade.

O presidente da entidade ainda afirma que o ‘escândalo da Lava Jato atingiu políticos de todos os partidos e os mais poderosos empresários brasileiros’ e que ‘não é surpreendente’ o fato de que ‘os juízes e investigadores estejam sendo atacados de todos os lados’.

“Esta é a prova de que a corrupção não distingue entre ideologias ou partidos políticos. A Transparência Internacional exige garantias de que as investigações possam prosseguir e que todos os processos judiciais permaneçam independentes e livres de interferências de qualquer partido político”, afirmou o presidente da Transparência Internacional. 

Veja também: 

 

Luiz Vassalo
O Estado de S. Paulo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...