quinta-feira, 20 de julho de 2017

Lula recorre contra bloqueio de bens, que já chega a quase 10 milhões


Imagem: Zanone Fraissat / Folhapress
Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entraram nesta quinta-feira, 20, com mandado de segurança no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4) para impugnar a decisão do juiz Sérgio Moro que bloqueou bens do petista.


O argumento da defesa: “Uma vez que o próprio Moro reconheceu em decisão dada na semana passada que não houve dano financeiro da Petrobras na ação do ex-presidente, não haveria por que determinar o futuro cumprimento de reparação deste prejuízo.” “Não há demonstração de conduta para dilapidar patrimônio”, disse o advogado Cristiano Zanin Martins, durante uma reunião com a imprensa na qual estavam presentes as principais lideranças do PT pouco antes do ato na Avenida Paulista em defesa do ex-presidente.

Leia também: 

Justiça bloqueia mais 9 milhões de Lula
Petistas fazem imagem para comparar Lula com Jesus e causam revolta
Ex-assessor de Evo Morales é preso com 100 quilos de cocaína pura em SP
Ao marcar depoimento de Lula, Moro lembra fracasso de manifestações em Curitiba
Avançam negociações para recriar o imposto sindical
Janaína Paschoal pressiona o STF para que aprove delação de Marcos Valério: 'A Lei é clara: Marcos Valério tem direito a fazer a delação; o Brasil tem interesse em ouvi-lo. Peço ao STF que homologue o acordo com a PF!'
Moro marca interrogatório de Lula para setembro
Lobista revela R$ 11,5 milhões de propinas a Renan, Jader e Anibal

Zanin disse que a defesa "foi surpreendida" com a decisão do bloqueio porque ela se baseou em um pedido do Ministério Público Federal feito há nove meses e que tramitou em sigilo. “Nem os advogados de defesa tiveram acesso”, criticou. Segundo ele, o pedido do Ministério Público Federal "não apresentou qualquer elemento probatório que o justificasse".

“O Ministério Público só fez afirmação. Cogitar é diferente de provar. Mais uma vez MPF fez pedido com base em cogitação”, disse ele. Zanin disse, ainda, que a Procuradoria "não pode agir em nome da Petrobras". Aliados de Lula também usaram argumentos políticos para defender o ex-presidente.

A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, chamou de "chicana" a decisão de bloqueio de bens. “É uma chicana, um absurdo que tem como objetivo dificultar a defesa e a subsistência de Lula”, disse. “Para nós soou como perseguição.”

Veja também:  

 

Valmar Hupsel Filho
Broadcast Político
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...