quinta-feira, 27 de julho de 2017

PF deflagra Operação Cobra e prende ex-presidente da Petrobras


Imagem: Jose Lucena / Futura Press
A Polícia Federal, por meio da Delegacia de Combate a Corrupção e o Desvio Verbas Públicas – DELECOR/SR/PF/PR, deflagrou nesta quinta-feira, 27, a Operação Cobra, 42ª fase da Lava Jato. O ex-presidente da Petrobrás Aldemir Bendine foi preso.



Também são alvo operadores financeiros suspeitos de operacionalizarem o recebimento de R$ 3 milhões de reais em propinas pagas pela Odebrecht em favor do ex-presidente da Petrobrás.

Foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão e 03 mandados de prisão temporária no Distrito Federal e nos estados de Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo.

Leia também: 
Tribunal derruba decisão que suspendia alta do combustível
Lula se recusa a depor por videoconferência e faz exigências para audiência com Moro
Homem que ameaçou estuprar e matar família de Alexandre Frota em resposta a posicionamentos contra o PT é localizado pela polícia
Bolsonaro faz grave denúncia sobre plano de fraude no TSE para sabotar eleições de 2018; veja vídeo
Jornalista pisoteia Lula: 'o maior algoz do país, é a eterna vítima para milhões de alienados'
'Em 11 anos, Lula multiplicou seu dinheiro por 19 e virou milionário', aponta jornalista ao explicar como Lula faturou rios de dinheiro
'Lula deve morrer de inveja desse Maduro', diz Roberto Jefferson após Maduro mandar prender três ministros do Tribunal Superior de Justiça
Roger, do Ultraje, reage após João Gordo dizer que irá 'amordaçá-lo e jogá-lo com um peso no Tietê' por suas posições políticas

Vídeo mostrando como o PT prometeu expulsar qualquer corrupto do partido se espalha na web; veja

Segundo as investigações realizadas até este momento, o ex-presidente das instituições mencionadas e pessoas a ele relacionadas teriam solicitado vantagem indevida em razão dos cargos exercidos para que o Grupo Odebrecht não viesse a ser prejudicado em futuras contratações da Petrobrás e, em troca, o grupo empresarial teria efetuado o pagamento em espécie de ao menos R$ 3 milhões. 

Aparentemente estes pagamentos somente foram interrompidos com a prisão do então presidente do Grupo Odebrecht.

O nome da fase (COBRA) é uma referência ao codinome dado ao principal investigado nas tabelas de pagamentos de propinas apreendidas no chamado Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht durante a 23ª fase da Operação Lava Jato.

Os presos serão levados[veja_tambem] para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba onde permanecerão à disposição do juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba/PR.

Veja também:






Fausto Macedo e Julia Affonso
O Estado de S. Paulo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...