terça-feira, 25 de julho de 2017

'Tribunal internacional popular' para julgar a Lava Jato 'seria piada se não fosse crime', diz procurador


Eugênio Aragão fará a 'acusação' contra a Lava Jato
Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Militantes da extrema esquerda organizam um "tribunal internacional popular" em que pretendem "julgar" a Operação Lava Jato. O evento será realizado no dia 11 de agosto, dia do advogado, em Curitiba. O expediente já foi utilizado no impeachment de Dilma, quando um "tribunal" composto exclusivamente por simpatizantes de Dilma também ofereceu seu próprio "veredito", sem qualquer valor legal.  




O procurador Ailton Benedito explica que a iniciativa, para além de ilegal, é criminosa, além de ser uma atitude típica de organizações criminosas:

As FakeNews divulgam que a Orcrim organiza um "tribunal internacional popular" para julgar a LavaJato. Seria piada, se não fosse crime.
No Brasil, o uso da denominação TRIBUNAL é prerrogativa exclusiva do Poder Judiciário. A pantomima "tribunal internacional popular" é ilegal.
A Orcrim montar um "tribunal internacional popular" para julgar a LavaJato é caso típico de coação no curso do processo (art. 344 do CP)
O crime organizado costuma montar "tribunais" para julgar autoridades, condená-las e executar suas penas capitais em "microondas".
Na Itália, durante a operação Mãos Limpas, o crime organizado também julgava, condenava e executava autoridades com tiros, bombas etc.
A pantomima chamada "tribunal internacional popular" da Orcrim para julgar a LavaJato é mais uma identidade com a operação Mãos Limpas.

Leia também:
MPF apresenta documentos omitidos por delator e pede que Moro avalie acordo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...