quinta-feira, 13 de julho de 2017

Vigília em apoio a Lula atrai apenas dez militantes


Imagem: Juliana Arreguy / O Globo
Um grupo de dez militantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) se concentra em frente ao prédio onde vive o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, após sair a condenação do petista, na tarde desta quarta-feira. Eles dizem que permanecerão no local para evitar pichações e manifestações contrárias a Lula.



— Vamos ficar aqui até amanhã. Vamos receber um reforço do pessoal que vai para a (Avenida) Paulista — relatou o militante Flávio dos Santos ao GLOBO.

O grupo chegou ao local por volta das 16h. Uma viatura da polícia se instalou na entrada da rua para garantir que não haja tumulto.

Leia também:  
Lula e Marisa registraram o triplex no imposto de renda por seis anos
Na sentença do tríplex, sítio de Atibaia é citado 46 vezes

Dono do restaurante frequentado por Lula em São Bernardo, o Gijo’s, Gijo Juno Rodrigues Silva compareceu ao local para prestar solidariedade ao ex-presidente, de quem afirma ser amigo há 48 anos. Ex-sindicalista, ele costuma levar a chuleta, tradicional prato de seu restaurante, para o petista se servir em casa. Silva disse ter se encontrado com Lula cerca de 15 dias antes da condenação.

— Com a morte da dona Marisa, Lula está magoado. Mas na vida política, parece que ele está até melhor — relata Silva, que deixou um pote de água benta dentro do edifício "para garantir a proteção do ex-presidente".

Alguns motoristas de carros que desciam a rua berraram ofensas contra o ex-presidente; do outro lado da via, os militantes revidaram com xingamentos. Também houve quem gritasse palavras de incentivo como “Lula presidente”.

Os vizinhos de Lula não quiseram comentar a movimentação em frente ao prédio. Curioso, um dos moradores perguntou o porquê da aglomeração; ele alegou não saber de nada da condenação até aquele instante. Outro, que não quis se identificar para evitar “mal estar” na vizinhança, criticou o petista e afirmou que a decisão não era nenhuma surpresa.

- Eu sou cidadão e sei o que ele fez. Como bom estelionatário ele é muito simpático. Sempre cumprimenta quando nos encontramos no elevador. Não é surpresa nenhuma. Ninguém fala sobre isso aqui, mas veladamente todos concordam que ele é ladrão.

Veja também: 

 

Juliana Arreguy
O Globo
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...