quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Após fraude, OEA exclui Venezuela de reunião de conselhos eleitorais


Imagem: Juan Manuel Herrera / OEA
O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, anunciou hoje (3) que o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela não será convocado à Reunião Interamericana de Autoridades Eleitorais que será realizada em Cartagena, na Colômbia, em outubro. A informação é da EFE.



"Um órgão eleitoral que demonstrou estar a serviço de um regime ditatorial não pode ser convidado para sentar-se na mesa da democracia hemisférica", indicou Almagro em um comunicado.

"A parcialidade que caracterizou o CNE da Venezuela prejudicou as possibilidades de uma saída democrática à crise. Longe de ser um fiador, manipulou resultados e fragilizou os direitos políticos dos venezuelanos", acrescentou.

Leia também: 
Goleiro Bruno recebe autorização para dar aulas de futebol para crianças e adolescentes
Maduro adia instalação de Constituinte após denúncias de fraude
'Operação abafa' contra corrupção é realidade ostensiva, diz Barroso
Rita Lee terá de indenizar policial por xingamentos em show
Joesley abusa da cara-de-pau e diz que sessão da Câmara é o 'dia da vergonha'
Operador do PMDB entrega a Moro planilha de US$ 418 mil em propinas a Renan, Jader, Aníbal e Rondeau
Janot pede arquivamento de processo contra políticos 'idosos' por prescrição
Após decisão da Câmara, denúncia contra Temer ficará 'congelada' até ele deixar o cargo
Delação de ex-governador do Mato Grosso é “monstruosa”, diz ministro do STF
Às vésperas da votação, Lula reiterou que torcia pelo 'fica Temer'
Senado instala CPI do BNDES para investigar empréstimos do banco
Nova operação da Lava Jato prende secretário de Eduardo Paes no Rio
'Nem banho de sol em presídio tem tanto ladrão quanto no Congresso Nacional, tanta figura bizarra!', critica José Simão

Janot pede a inclusão de Temer, Padilha e Moreira Franco no inquérito do ‘quadrilhão’ do PMDB

A decisão de não convidar a Venezuela à reunião anual das máximas autoridades eleitorais da região, que a OEA organiza desde 2003, foi tomada pela Secretaria Geral do órgão, liderada por Almagro. A reunião, que este ano acontecerá nos dias 26 e 27 de outubro, objetiva a troca de experiências e conhecimentos pelos tribunais eleitorais dos países da região.

Grande fraude

O anúncio da exclusão da autoridade eleitoral da Venezuela chega depois de Almagro dizer ontem que houve fraude nas eleições para Assembleia Nacional Constituinte do último domingo.

"Foi confirmada a maior fraude eleitoral da história da América Latina, em percentagem e milhões de eleitores", escreveu Almagro em sua conta no Twitter, depois que a empresa encarregada da contagem de votos, a Smartmatic, denunciou que houve "manipulação" dos dados de participação.

O governo da Venezuela pediu em abril a sua saída da OEA após a convocação de uma reunião de chanceleres sobre a crise do país contra sua vontade, mas essa saída não será efetivada até 2019, razão pela qual até então a Venezuela continua membro com plenos direitos e deveres.

No último dia 26 de julho, um grupo de 13 países da OEA pediu em uma declaração conjunta a suspensão do processo da Constituinte porque isso "implicaria no desmantelamento definitivo da institucionalidade democrática".


Veja também:






Diário do Poder
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...